A Rua Primeiro de Maio

PENTAX Image

Placa Tipo II (Foto: José Carlos Batista)

A Rua Primeiro de Maio foi atribuída em 7 de agosto de 1911, após a proclamação da República em Portugal, na que era antes a Rua de São Joaquim ao Calvário (Edital de 08/06/1889), Rua de São Joaquim e ainda antes, Rua Direita do Calvário.

Neste mesmo edital de agosto de 1911 foram também atribuídos à Rua de Príncipe e Largo da Rua do Príncipe, o topónimo Rua Primeiro de Dezembro e, à Rua do Príncipe em Alcântara a denominação Rua Cinco de Abril (referente à data das eleições de 1908, em que houve 7 mortos em Lisboa, em resultado dos confrontos entre a guarda municipal e maltrapilhos e garotos em Alcântara e no Rossio).

Nestas alterações está patente a necessidade da rápida implantação do regime republicano triunfante na vida quotidiana da população, bem como o propósito de acabar com a influência que a religião e a monarquia detinham.

A Rua Primeiro de Maio consagra na toponímia lisboeta a festa universal dos trabalhadores determinados no Congresso Internacional dos Trabalhadores. No 1º de Maio de 1886, milhares de trabalhadores de Chicago, tal como de muitas outras cidades americanas, foram para a rua exigir um horário de 8 horas de trabalho por dia. No dia 4 de maio, durante novas manifestações, uma explosão serviu de pretexto para a repressão que provocou mais de 100 mortes e a prisão de dezenas de operários, acontecimento, que ficou conhecido como os Mártires de Chicago e, se tornou o símbolo e marco para uma luta que, a partir daí, se generalizou por todo o mundo. A notícia destes acontecimentos e o reconhecimento das reivindicações operárias levou  as centrais sindicais ligadas à 1ª Internacional a estabelecerem a data de 1º de Maio de 1886 como consagração aos Mártires de Chicago e em homenagem àqueles que pagaram com suas vidas a obtenção de justas reivindicações sociais.

Lisboa tem ainda uma Rua Primeiro de Maio ao Grafanil, que foi oficializada por Edital de 30/01/2009, para manter o topónimo pelo qual já era conhecido o arruamento.

na Freguesia de Alcântara

na Freguesia de Alcântara (Foto: José Carlos Batista)