A Rua do piloto de acrobacia aérea pelo seu 110 º aniversário

Freguesia de Campolide

Freguesia de Campolide                                                                         (Foto: José Carlos Batista)

Na próxima 5ª feira, dia 21 de Novembro, completa-se o 110º aniversário de Plácido Abreu, aviador acrobático que arrebatou multidões com as suas espectaculares manobras no seu Foguete e, que dá o seu nome ao arruamento que tinha a denominação provisória de Rua Projectada à Rua das Amoreiras, ou Rua B à Rua das Amoreiras, desde a publicação do Edital camarário de 21/12/1960.

A Comissão Consultiva Municipal de Toponímia na sua reunião de 31/08/1960 ocupou-se do despacho do então Presidente da Câmara França Borges, no sentido de serem denominados todos os arruamentos já abertos na cidade, mesmo que incompletos em matéria de construção e, foi neste âmbito que deu parecer favorável à atribuição de vários topónimos em diversos locais de Lisboa, entre os quais este arruamento.

Plácido António Cunha de Abreu (Lisboa/21.11.1903 – 10.06.1934/França) que estudou no Colégio Militar e na Escola Militar e ingressou na Arma de Infantaria, foi um aviador acrobata, que em 1925, como Alferes, escolheu fazer um curso de pilotagem em Sintra, tendo obtido o brevet em 1927 e sendo depois destacado para o Grupo de Aviação de Informação na Amadora. Passou pelo Grupo de Aviação de Bombardeamento em Alverca e, tornou-se piloto-aviador na Escola Militar de Aeronáutica de Sintra em 1931. A partir daí começou a praticar acrobacia aérea, distinguindo-se pelo seu arrojo. No Grande Certame Internacional de Cleveland, em 1932, ficou classificado entre os três primeiros acrobatas não americanos e recebeu convites para várias competições de renome a nível internacional. As  suas electrizantes manobras juntaram 20 mil pessoas num festival aéreo em Alverca e, e 1934, já Capitão, participou no Meeting Internacional de Vincennes, em Paris.

Um mês depois, faleceu no decorrer da 1ª Taça Mundial de Acrobacia Aérea, em Vincennes, despenhando-se contra o solo no seu novo avião “Avro Tutor” ao executar uma manobra de grande risco a baixa altitude, aos 31 anos de idade. Foi homenageado com a realização de um festival aéreo na Amadora e, condecorado, a título póstumo, com a mais alta condecoração francesa, a Legião de Honra, para além de ter sido divulgado o documentário «Tragédia do Ar – A Morte do Capitão Plácido Abreu».

Placa Tipo IV

Placa Tipo IV                                                                                       (Foto: José Carlos Batista)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s