A Rua do Kurika Teixeira Pinto

Freguesia da Penha de França

Freguesia da Penha de França
(Foto: Sérgio Dias)

A Rua Teixeira Pinto homenageia João Teixeira Pinto, desde a publicação do Edital de  23/03/1954, o qual deu aos arruamentos do Bairro do Vale Escuro topónimos relacionados com militares e outras figuras que em África cumpriram a política portuguesa na passagem do séc. XIX para o XX, quer por acção governativa quer por delimitação de fronteiras, como o Coronel Eduardo Galhardo e Mouzinho de Albuquerque (em Avenidas), Aires de Ornelas, João de Azevedo Coutinho e Paiva Couceiro (em Praças),  General Pereira de Eça (em Largo) e, Artur de Paiva, Dr. Lacerda e Almeida e Francisco Pedro Curado (em Ruas).

João Teixeira Pinto (Angola/22.03.1876-25.11.1917/Moçambique), filho de um oficial do mesmo nome conhecido em Angola como Kurika (leão), também seguiu a carreira militar, conseguiu o mesmo epíteto do pai e  faleceu em combate contra os alemães, em Negomano, durante a 1ª Guerra Mundial.

Como militar, João Teixeira Pinto esteve em comissão em Angola em 1899; de 1905 a 1908, como secretário do Governo de Moçâmedes, no Batalhão Disciplinar, no comando militar de Dongo , na 16ª Companhia Indígena de Infantaria, como chefe do Concelho de Humbe, comandante interino da 18ª Companhia Indígena e, a administrar a Circunscrição de Humbe e ainda a capitania-mor dos Luchazes; em 1909 e 1910, na 10ª Companhia Indígena de Infantaria, como Administrador do Bailundo e, no corpo da Polícia de Luanda.

Em 14 Setembro de 1912 rumou para a Guiné onde exerceu o cargo de chefe do Estado Maior, entre 1912 e 1915 e assim conquistou o Ôio, apenas com a colaboração de tropas gentílicas e,depois, as terras dos Balantas. Completou a ocupação da Guiné, firmada nos postos de Bór, Safim, Bejemita e Biombo. Ficou na toponímia local como a antiga designação colonial da povoação de Canchungo.

Em 10 de Março de 1916 embarcou para a província de Moçambique, para integrar as Companhias Indígenas Expedicionárias para defesa contra os alemães. Em 25 de Novembro de 1917,  os alemães deram início à invasão da província de Moçambique, destroçando um destacamento das nossas forças em Negomano, em cuja defesa o major João Teixeira Pinto encontrou a morte.

Placa Tipo II

Placa Tipo II
(Foto: Sérgio Dias)

Anúncios

One thought on “A Rua do Kurika Teixeira Pinto

  1. Pingback: A Rua de Lacerda e Almeida das fronteiras do Brasil e primeiras longitudes de África | Toponímia de Lisboa

Os comentários estão fechados.