Largo Mendonça e Costa

Freguesia da Penha de França

Freguesia da Penha de França

Nove anos após o seu falecimento, pelo Edital de 28/11/1932,  foi Mendonça e Costa, o fundador da Sociedade de Propaganda de Portugal, o nome dado   ao novo arruamento nascido entre a Rua Carvalho Araújo,a  Rua Actor Vale, a Travessa das Baldracas e a Rua Dr. Oliveira Ramos, com honras de cerimónia de inauguração no dia 1 de Março do ano seguinte.

Leonildo Augusto Mendonça e Costa (Lisboa/05.11.1849 – 20.03.1922/Lisboa) foi um jornalista e funcionário ferroviário que se destacou por ter fundado a Sociedade de Propaganda de Portugal. Aos 21 anos os seus pais morreram e começou a a trabalhar num escritório de agências hipotecárias, de onde transitou para redactor de  A Noite e, graças a António Augusto Teixeira de Vasconcelos que conheceu no jornal conseguiu um emprego na Companhia Real dos Caminhos de Ferros Portugueses, em 1872, como praticante de estação em Santa Apolónia, tendo chegado a chefe de Repartição.

Paralelamente, começou a trabalhar na administração do Jornal do Comércio e para vários jornais dos Açores, bem como para o Diário de Notícias e o Comércio do Porto. Depois, fundou e dirigiu a Gazeta dos Caminhos de Ferro de Portugal e Hespanha (1888) , mais tarde apenas denominada Gazeta dos Caminhos de Ferro (1899). Também publicou o Almanaque da Senhora Angot, de 1876 a 1878. 

A sua vida profissional tornou-o um defensor do turismo como indústria e, em 1906 fundou a Sociedade de Propaganda de Portugal, através da qual realizou várias viagens pelo  mundo para reunir conhecimentos que pudessem ser utilizados por aquela entidade. Mendonça e Costa  era considerado um dos portugueses mais viajados do seu tempo, tanto mais que já em 1903 havia sido o 1º português a viajar no Caminho-de-Ferro Transiberiano e, em 1907, deslocou-se até ao Pólo Norte.

Mendonça e Costa escreveu Guia Oficial dos Caminhos de Ferro e Manual do Viajante em Portugal, para além das comédias  Uma Mulher Homem, Safa, Que Susto!, O Homem da Bomba, Os Escravos do Trabalho e  O Segredo do Médico, algumas das quais foram representadas no Teatro do Ginásio.

Leonildo Mendonça e Costa  ainda mandou construir um prédio de 6 andares, na  Rua Braamcamp, que recebeu o n.º 10 como numeração de polícia, no qual viveu num dos apartamentos, tendo arrendado os restantes.

edital largo mendonça e costa

Edital de 28/11/1932