A Rua do homem de Alcoitão e do Totobola

José Guilherme Melo e Castro

Neste dia em que passa o centenário do nascimento de  José de Mello e Castro, dinamizador do Centro de Reabilitação de Alcoitão e do Totobola para o financiar, evocamos a sua rua lisboeta, na freguesia do Lumiar, atribuída pelo Edital de 09/12/1988 à Rua A à Quinta do Lambert ou à Rua Amílcar Cabral, após um pedido escrito da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa a solicitar que o   seu antigo provedor desse nome à Rua das Taipas.

José Guilherme Rato de Mello e Castro (Covilhã/28.05.1914 – 27.09.1972), provedor da Santa Casa da Misericórdia de dezembro de 1957  até 11 de outubro de 1963, foi o grande impulsionador do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, onde entrou o primeiro doente em 1966, dez anos depois do início da construção do edifício. Este Centro procurava dar resposta às necessidades dos mutilados da guerra colonial, possibilitando-lhes a sua integração na sociedade e, por outro lado, criava um centro especializado em medicina de reabilitação que também garantia  a formação em Portugal de pessoal especializado .

Em 1955, o Dr. José de Mello e Castro, então Secretário de Estado da Assistência, defendeu a ideia de através das apostas mútuas se financiarem os serviços de reabilitação a nível nacional e ao mesmo tempo, criar uma nova fonte de receita para as modalidades desportivas, com que o governo concordou em 30 de novembro de 1960 e, assim foi nomeado o director do departamento das Apostas Mútuas Desportivas, o Dr. Ricardo Jorge Correia da Fonseca que em abril de 1961 deu início à organização e montagem do que constituiria o Totobola. E em 1966 foi inaugurado o Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão.

José de Mello e Castro, licenciado em  Direito pela Universidade de Coimbra, foi advogado (1944-1947), Governador Civil de Setúbal (1944-1947), Subsecretário da Estado da Assistência Social (1954-1957), Presidente da Comissão Executiva da União Nacional (1968-1972), Juiz Conselheiro do Tribunal de Contas e ainda, deputado na Assembleia Nacional  pelo distrito de Setúbal, de 1949 até à data do seu falecimento, tendo em 3 legislaturas sido Presidente da Comissão Parlamentar de Política e Administração Geral e Social, sendo considerado até o mais «liberal» dirigente da União Nacional por ter incluído nas listas de 1969  os nomes dos mais significativos membro da Ala Liberal como Francisco Sá Carneiro.

Em 2013, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa criou uma Bolsa com o nome do Dr. José de Mello e Castro, no valor de  200 mil euros, para premiar anualmente o melhor projeto de investigação científica, clínica ou tecnológica que permita avanço na recuperação ou tratamento de lesões vertebro-medulares.