A Rua do Miúdo da Bica

Freguesia de Marvila (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia de Marvila
(Foto: Sérgio Dias)

O intérprete de O Miúdo da Bica e do Fado das Trincheiras dá o seu nome a uma Rua da Freguesia de Marvila, tal como o fadista Fernando Maurício e o guitarrista Armandinho, todos atribuídos pelo mesmo Edital de 01/08/2005.

A Rua Fernando Farinha era antes designada como Via 5 à Via 3 à Rua do Vale Formoso de Cima,  também conhecida por Rua Projectada à Quinta do Tim-Tim, e recebeu a legenda «Fadista/1928-1988» para homenagear Fernando Tavares Farinha (Barreiro/20.12.1928 – 12.02.1988/Lisboa) que aos 8 anos veio com a família morar para o Bairro da Bica e, aos nove começou a cantar fado e ao participar em representação da Bica num concurso interbairros ganhou para toda a vida o título de  Miúdo da Bica.

Profissionalizou-se aos 11 anos,  com uma licença especial e a ajuda do empresário José Miguel, já que o seu pai falecera e,  ele precisava de contribuir para o sustento da família. Cimentou a sua carreira de fadista, tornando-se uma das vozes mais populares do fado, ao fazer o percurso das casas de fado com actuações no Café Mondego –  a  sua primeira  – Café Latino, Retiro da Severa, Solar da Alegria, Café Luso e a partir de 1951, e durante 10 anos, na Adega Mesquita, no Bairro Alto. Ao longo da década de cinquenta do séc. XX também afirmou a sua voz junto das comunidades portuguesas de emigrantes, onde registou uma grande popularidade, especialmente no Brasil e, ainda esteve presente na televisão desde os seus primórdios, no programa Melodias de Sempre, tendo também integrado o elenco do filme O Miúdo da Bica (1963), de Constantino Esteves, que justamente narra a história da sua vida.

Entre os principais êxitos de Fernando Farinha contam-se Fado das Trincheiras, Sou do PovoDeus Queira  ou Guitarra Triste, destacando-se que também escreveu letras para os seus fados como nos casos de Mãe Há só Uma, Ciumenta, Menina do Rés-do-Chão, Quero-te Mais do Que à Vida, Um Fado à Marceneiro, Um Fado à Juventude e Belos TemposO seu primeiro disco foi gravado em 1940 e incluía os temas Meu Destino e Sempre LindaEm 1955, comemorou no Coliseu de Lisboa e no Palácio de Cristal do Porto as bodas de prata da sua carreira artística, ocasião em que foi premiado com a Guitarra de Prata. Em 1957 ganhou o concurso A Voz Mais Portuguesa de Portugal  da Rádio Peninsular, em 1962 foi coroado Rei da Rádio Portuguesa  e, no ano seguinte recebeu o Óscar da Casa da Imprensa para melhor fadista e o seu 1º Disco de Ouro.

Placa Tipo II (Foto: Sérgio Dias)

Placa Tipo II
(Foto: Sérgio Dias)