A Rua do primeiro Bibliotecário de Lisboa

Freguesia da Penha de França

Freguesia da Penha de França

Já que hoje se comemora o Dia Mundial das Bibliotecas, evocamos Feio Terenas, o 1º bibliotecário da Câmara Municipal de Lisboa, que desde Maio de 1926 passou a dar nome a uma rua da Penha de França.

Foi por proposta do Vereador Avelino Ribeiro, aprovada em sessão de câmara de 30/04/1926, que se colocou o nome de Feio Terenas  na Rua nº 5 do Bairro Lamosa (conforme o Edital 15/05/1926 corrigido pelo Edital de 22/08/1928), com a legenda «Jornalista e Propagandista do Ideal Republicano/1847 – 1920»

José Maria de Moura Barata Feio Terenas (Covilhã/05.11.1847 – 29.01.1920/Lisboa) foi um dos fundadores do Partido Republicano e figura muito ligada ao Centro Republicano Democrático de Lisboa. Integrou a organização do I Congresso Republicano, em 1887 e, ainda durante o regime monárquico foi eleito deputado pelo círculo de Setúbal, sendo reeleito em 1910  para as Constituintes.

No jornalismo, este beirão fundou com Abílio Roque de Sá Barreto, Emídio Garcia e Rodrigues de Sousa, o 1º jornal que hasteou a bandeira republicana, O Partido do Povo (1878)  e, em 1885, o Diário da Tarde, com Gomes da Silva. Dirigiu A Vanguarda e A Revolução de Janeiro e, com Rodrigues Sampaio e Pinheiro Chagas, foi um dos fundadores da 1ª associação de imprensa em Lisboa, a Associação de Jornalistas e Escritores, criada em 1880 por altura das comemorações do tricentenário de Camões. Redigiu ainda para A Batalha e A Democracia – tendo substituído várias vezes o diretor Elias Garcia – , assim como para o Archivo Republicano, Enciclopédia Republicana, Galeria Republicana, República e O Século.

Na administração municipal foi o primeiro bibliotecário da Câmara Municipal da capital, de 1881 até à implantação no regime republicano, exercendo funções de conservador na Biblioteca Municipal da Rua do Saco, onde teve como ajudante Luz de Almeida .

Também quando a instrução primária passou para a administração municipal, colaborou com Elias Garcia, tanto mais que em 1882 havia  publicado a revista de instrução primária Froëbel, em defesa da educação cívica e do ensino laico e, do mesmo modo   fundou e dirigiu o periódico O Vintém das Escolasa partir de 1 de Julho de 1902, com a  frase «Beneficência, Instrução, Educação Cívica» estampada no cabeçalho, bem como a 1ª missão fundada em Lisboa desta associação.

Rua Feio Terenas planta

2 thoughts on “A Rua do primeiro Bibliotecário de Lisboa

  1. Pingback: A Avenida do republicano Elias Garcia | Toponímia de Lisboa

  2. Pingback: A Rua do professor republicano Augusto José Vieira | Toponímia de Lisboa

Os comentários estão fechados.