Junto à Cinco de Outubro o diplomata e olisipógrafo republicano Alfredo Mesquita

Alfredo Mesquita

Amanhã passa o 143º  aniversário do diplomata e olisipógrafo Alfredo Mesquita, que desde a publicação do Edital de 14/07/2004  dá nome a uma artéria que era o Impasse à Avenida 5 de Outubro, no final da artéria que perpetua a data da implantação da República em Portugal.

A consagração na toponímia de Lisboa de Alfredo Mesquita Pimentel (Angra do Heroísmo/19.07.1871 – 20.05.1931/ Paris), que foi jornalista, escritor, olisipógrafo e diplomata, resultou de uma proposta apresentada pelo Sr. António Valdemar a que a Comissão Municipal de Toponímia emitiu parecer favorável.

Alfredo Mesquita começou no ano de 1891 no mundo dos jornais lisboetas, na folha semanal O Crédito, «jornal de economia e finanças portuguezas» e foi redator, entre outros periódicos, da Democracia Portuguesa, Revista Ilustrada, O Nacional, Jornal do Comércio, Diário de Notícias, assim como cronista da revista Ocidente sob o pseudónimo de João Prudêncio, para além de ter colaborado nos jornais humorísticos António Maria e Paródia. Foi ainda delegado da Associação de Jornalistas e Homens de Letras de Lisboa em diversos Congressos de Imprensa no estrangeiro e, na sua qualidade de jornalista acompanhou as visitas régias aos Açores (1901) e a França (1906). Mais tarde, integrou a redação do Portugal na Guerra, periódico que se publicava em Paris durante a Primeira Guerra Mundial.

Como escritor produziu uma obra literária extensa que inclui biografias, ensaios literários, contos, teatro, literatura de viagens e um romance. Estreou-se em 1890 com um estudo sobre Júlio César Machado a que se seguiram inúmeros títulos como Vida Airada (1894), De Cara Alegre (1897), a monografia Portugal Moribundo (1892), Lisboa: Compilação e estudo (1903), A rua do oiro: romance lisboeta (1905),  Memórias de um Fura-vidas (1905), Alfacinhas (1916) , A América do Norte (1916) e, com Câmara Lima, também escreveu a revista Na Ponta da Unha que foi representada no Teatro da Rua dos Condes.

A partir de 1911, Alfredo Mesquita iniciou uma carreira diplomática que se estendeu até 14 de Março de 1922 no decorrer da qual exerceu funções em Durban (1911), Ourense (1911), Melbourne (1911), Constantinopla (1911-1916), Roma (1917-1918), Nova Iorque (1918-1919), Hamburgo (1919) e Paris (1919-1922), tendo sendo agraciado com a Ordem Militar de Cristo e a Legião de Honra francesa.

 

Alfacinhas 2

Freguesia de Alvalade (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia de Alvalade
(Planta: Sérgio Dias)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s