O Jardim da pianista Elisa Pedroso

Elisa Sousa Pedroso em 1909 (Foto: Joshua Benoliel, Arquivo Municipal de Lisboa)

Elisa Baptista de Sousa Pedroso em 1909
(Foto: Joshua Benoliel, Arquivo Municipal de Lisboa)

Por proposta da própria Comissão Municipal de Toponímia na sua reunião de 22/08/1973  foi a pianista  Elisa Baptista de Sousa Pedroso consagrada três anos depois num Jardim lisboeta, pelo Edital de 03/09/1976 , designado por Jardim da Rua da Imprensa à Estrela, também vulgarmente conhecido por Jardim Salazar.

Este Jardim cuja traça terá sido implantada por volta de 1930, ocupa o espaço nas  traseiras da Assembleia da República que outrora foram os terrenos da antiga cerca conventual do Mosteiro de São Bento da Saúde.

Elisa Baptista de Sousa Pedroso (Vila Real/10.07.1876 -1958/Lisboa) foi uma consagrada pianista, fundadora do Círculo de Cultura Musical,  primeira sócia honorária da Juventude Musical Portuguesa e, organizadora dos famosos concertos sinfónicos que durante muitos anos, semanalmente, nos meses de Verão, a Câmara Municipal de Lisboa ofereceu ao público no Pavilhão dos Desportos.

A música foi a dedicação para Elisa desde jovem, tendo estudado com os professores Francisco Baía, Alexandre Rey-Colaço e Viana da Mota, em Lisboa e depois, com Eduardo Risler, Ignaz Friedman e Alfredo Casella em Paris, para além de lições de Pedro Blanch, Luís Filgueiras e Pablo Casals, e assim foi fazendo carreira e concertos um pouco por todo o mundo.

Em 1917, colaborou com o seu marido, o advogado Alberto Pedroso, na fundação da Sociedade de Concertos de Lisboa. Após enviuvar, ela própria fundou o Círculo de Cultura Musical, em 1935,  do qual foi eleita presidente vitalícia. É a partir desta estrutura que Elisa Pedroso trabalhou para difundir a cultura musical, através de concertos com os maiores valores artísticos portugueses e estrangeiros e, da qual proliferaram delegações no Porto, Coimbra, Braga, Viana do Castelo, Funchal, Aveiro, Guimarães, Viseu, Setúbal, Ponta Delgada e Évora. E em 1947, Elisa Baptista Pedroso cedeu o seu próprio palacete para sede da Juventude Musical Portuguesa e ainda promoveu intercâmbios entre Portugal e diversos países europeus, particularmente entre Portugal e Espanha, tornando-se numa das maiores mecenas da época.

Também publicou Cultura Artística de Hoje : notas e três meses e viagem (1935), Música Espanhola Contemporânea (1917) e L’ art, expression de notre esprit national  (1941).

Foi galardoada com a Grã-Cruz da Ordem de Instrução Pública e a Ordem de Santiago e Espada (1954), o Colar do Instituto de Coimbra, o Colar e a Medalha da Cruz Vermelha, a Medalha de Prata da Cidade de Lisboa (1947), a Cruz de Afonso o Sábio (de Espanha), o Colar da Real Academia de Belas-Artes de Madrid, a Medalha de Sócia de Honra da Orquestra Sinfónica de Madrid e a Medalha de Ouro de Música de Itália (1949) e, o Conservatório Regional de Música de Vila Real criou o Prémio Nacional Elisa de Sousa Pedroso para instrumentistas de todo o país.

Jardim Maria Elisa Baptista de Sousa Pedroso  (Foto: Eduardo Portugal, 1940, Arquivo Municipal de Lisboa)

Jardim Maria Elisa Baptista de Sousa Pedroso
(Foto: Eduardo Portugal, 1940, Arquivo Municipal de Lisboa)

Freguesia da Estrela

Freguesia da Estrela

Anúncios

2 thoughts on “O Jardim da pianista Elisa Pedroso

  1. Pingback: A Rua Francisco Baía que foi de Alvalade para São Domingos de Benfica | Toponímia de Lisboa

  2. Pingback: Música na Toponímia de Lisboa | Toponímia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s