Da Armada ao Campo Grande: a Rua Ernesto de Vasconcelos

Busto de Ernesto Vasconcelos por Moreira Rato (Foto, Arquivo Municipal de Lisboa, 1969)

Busto de Ernesto Vasconcelos por Moreira Rato
(Foto: Arquivo Municipal de Lisboa, 1969)

O oficial de Marinha e geógrafo Ernesto de Vasconcelos desde 1932 que dá o seu nome à que foi referenciada como Rua C do projeto aprovado em sessão de 13/10/1927, «entre a Rua Ocidental e o Hipódromo do Campo Grande» conforme o Edital.

O edital municipal de 12/03/1932 também atribuiu nesta zona próxima do Campo Grande topónimos às ruas A, B e D: Rua Lopes de Mendonça, Rua Francisco Mantero e Rua Aires de Ornelas.

Ernesto Júlio de Carvalho de Vasconcelos (Almeirim/16.09.1852 – 15.11.1930/Lisboa) resolveu seguir a carreira do avô materno e assim assentou praça na Armada com 12 anos, vindo a ser vice-almirante e geógrafo, com os cursos de oficial da Marinha e de engenheiro-hidrógrafo.

Ernesto de Vasconcelos trabalhou em vários levantamentos hidrográficos importantes como a elaboração da carta da barra de Lisboa, do rio Guadiana, da foz do rio Zaire e das fronteiras de Timor, para além de ter elaborado um plano de uniformização internacional dos serviços de farolagem (1887), tendo ainda sido nomeado por Bernardino Machado para integrar a comissão criada para estudar os interesses de Macau.

Exerceu como professor da Escola Naval e da Escola Colonial, dirigindo também a Revista Portuguesa Colonial e Marítima e, produzindo ainda diversos livros educativos como Astronomia Fotográfica (1884 e 1886), Uniformidade Internacional de Bóias e Balizas Marítimas (1887), Relação dos Mapas, Cartas, Plantas e Vistas Pertencentes ao Ministério da Marinha e Ultramar, com Algumas Notas e Notícias (1892) e Subsídios para a História da Cartografia Portuguesa nos sécs. XVI, XVII e XVIII (1916). Alcançou ainda os cargos de presidente da Comissão de Cartografia e de diretor e secretário perpétuo da Sociedade de Geografia de Lisboa.

Ernesto de Vasconcelos também se dedicou à política e nessa qualidade foi membro da Maçonaria, deputado às Cortes, vice-presidente da Câmara de Deputados,  chefe de gabinete de vários ministros e ainda  desempenhou as funções de Director-Geral no Ministério das Colónias. D. Carlos I agraciou-o com a carta de conselho.

(Foto: Arnaldo Madureira, 1959, Arquivo Municipal de Lisboa)

(Foto: Arnaldo Madureira, 1959, Arquivo Municipal de Lisboa)

Freguesia de Alvalade

Freguesia de Alvalade

Anúncios

One thought on “Da Armada ao Campo Grande: a Rua Ernesto de Vasconcelos

  1. Pingback: De uma Rua do Campo Grande para Alvalade foi Lopes de Mendonça | Toponímia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s