A Calçada do Santíssimo Sacramento

Em 1912  (Foto: Joshua Benoliel, Arquivo Municipal de Lisboa)

Em 1912
(Foto: Joshua Benoliel, Arquivo Municipal de Lisboa)

Esta Calçada que hoje podemos observar a fazer a ligação da Rua Garrett ao Largo do Carmo remete-nos pelo seu topónimo  para a existência neste arruamento da Igreja do Santíssimo Sacramento, invocação ali presente desde o século XVII apesar de inúmeras vicissitudes.

Primeiro, em 1666, foi neste sítio edificada uma pequena capela dedicada ao Santíssimo Sacramento que era paroquial e na qual foi dita a primeira missa no dia 21 de abril desse ano. E a partir desse ano encontramos documentos que mencionam o espaço que hoje é a Calçada do Sacramento como «adro do Sacramento» e  como «traveça do Sacramento». Após a remodelação paroquial de 1770  passa a ser referenciada como « Rua nova do Sacramento» ou «Rua do Sacramento». E como Calçada do Sacramento surge em 1858 no Atlas da carta topográfica de Lisboa de Filipe Folque, na informação de municipal de construção do macadame na «calçada do Sacramento ao Chiado» de 1875, bem como no levantamento topográfico de Francisco Goullard de 1881.

Após desentendimentos com a Irmandade da Trindade autonomizou-se a Irmandade do Santíssimo Sacramento para a ermida inicial em 1666 e, no ano seguinte, em 26 de novembro lançou a 1ª pedra para novo e maior templo num terreno próximo do que hoje é o Largo Bordalo Pinheiro e, defronte do Palácio do Marquês de Arronches.  Porém, o Marquês conseguiu embargar a obra alegando que esta lhe tirava as vistas do Tejo e  o que já estava feito foi demolido. Então, o Conde de Valadares ofereceu um terreno defronte do seu palácio e  a igreja estava concluída em 1671 e nela foi celebrada a 1ª missa em 1685.

O terramoto de 1755 arruinou a Igreja e só em março de 1760 se conseguiu ter no terreno uma Capela. Sucede que o plano de reconstrução de Lisboa de Eugénio dos Santos colocava a nova Igreja a ter porta principal para o Chiado (hoje Rua Garrett) e só o Tribunal permitiu que a nova Igreja fosse construída sobre as ruínas da antiga, tendo as obras começado em 1772, de acordo com o plano traçado por Remígio Francisco de Abreu, arquiteto do Senado e discípulo da Escola de Mafra, ocorrendo a sagração do templo apenas em 1807. No ano seguinte, quando na Praça do Comércio o povo gritou morras às tropas invasoras napoleónicas e espanholas, foi nesta igreja que a multidão depois se refugiou apesar das tropas estrangeiras terem invadido o recinto, morto gente e levado peças de prata. A Igreja do Santíssimo Sacramento voltou a ter obras de 1822 a 1847, em 1873 e,  em 1989.

Freguesia de Santa Maria Maior (Foto: Artur Matos)

Freguesia de Santa Maria Maior
(Foto: Artur Matos)

Freguesia de Santa Maria Maior (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia de Santa Maria Maior                                                                                                         (Planta: Sérgio Dias)

Anúncios

2 thoughts on “A Calçada do Santíssimo Sacramento

  1. Pingback: A Rua do Almirante genovês de D. Dinis | Toponímia de Lisboa

  2. Pingback: As Calçadas e Calçadinhas lisboetas | Toponímia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s