Berta, a voz de oiro do fado, em Santa Clara

Berta Cardoso por Amarelhe, O Cartaz de Lisboa,1937

Berta Cardoso por Amarelhe, O Cartaz de Lisboa,1937

Dez anos após o seu falecimento, a fadista Berta Cardoso, conhecida como A voz de oiro do fado, deu o seu nome a uma rua da Freguesia de Santa Clara.

Foi pelo Edital municipal de 27/04/2007  que nos arruamentos projetados ao Bairro das Galinheiras foram fixados s nomes de Berta Cardoso na Rua 3, do escultor Barata Feyo (Rua 2) e da pintora Maluda (Rua 1 ), bem como no ano seguinte, do guitarrista Jaime Santos (Rua 4), já pelo edital de 03/07/2008.

Berta dos Santos Cardoso (Lisboa/21.10.1911 – 12.07.1997/Lisboa), nascida alfacinha na Rua da Condessa, no Carmo, foi uma fadista de referência da chamada Época de Ouro,  sendo até considerada como a loucura dos fadistas desde a sua estreia em público, em 1927, no Salão Artístico de Fados, no Parque Mayer, acompanhada por Armandinho e, onde obteve tal êxito que foi convidada para integrar o elenco da casa, o que não se concretizou  por ela ter apenas 16 anos.

Em 1931 gravou o seu primeiro disco, em Espanha, e a partir daí ficou conhecida como A voz de oiro do fado, tendo conseguido no decorrer das décadas de 30, 40 e 50 do século XX uma carreira notável dividida entre os palcos das casas de fado ( Café Luso, Retiro da Severa, Solar da Alegria e Salão Jansen, ) e dos teatros de revista. A partir da década de 60 passou a trabalhar exclusivamente em casas de fado, sobretudo no Faia, na Rua da Barroca e, no Viela. Berta Cardoso finalizou a sua longa carreira artística no ano de 1982, no Poeta, em Alfama, espaço do poeta José Luís Gordo e da sua esposa, a fadista Maria da Fé.

«Fado Antigo», «Fado Faia», «Chinela», «Meu Lar», «Cinta Vermelha»,«Cruz de Guerra»  e «Meu amor fugiu do ninho» foram alguns dos maiores êxitos de Berta Cardoso mas acresce que como nome conceituado do Fado tradicional, esta fadista fez também as suas aparições na televisão, destacando-se a sua presença, em 1969, no programa Zip, Zip e a transmissão da sua festa no programa Bodas de Ouro de uma Fadista. Fez ainda uma aparição no cinema, de atuações suas com Alfredo Marceneiro, para o filme Feitiço do Império, de António Lopes Ribeiro, que estreou em 1940.

Freguesia de Santa Clara (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia de Santa Clara
(Foto: Sérgio Dias)

Freguesia de Santa Clara

Freguesia de Santa Clara