O Beco dos surradores de Alfama

Freguesia de Santa Maria Maior - Placa Tipo I (Foto: Artur Matos)

Freguesia de Santa Maria Maior – Placa Tipo I
(Foto: Artur Matos)

Este Beco do Surra, que hoje encontramos a ligar a Rua do Museu da Artilharia à Rua dos Remédios, já aparece mencionado na  Corografia Portugueza, E Descripçam Topografica Do Famoso Reyno De Portugal de Carvalho da Costa de 1712, bem como nas descrições paroquiais da Lisboa pouco antes do terramoto de 1755, na freguesia de «São Estêvão de Alfama».

No entanto, supomos que o topónimo seja mais antigo por em Alfama ter sido comum a atividade dos surradores, aproveitando as águas abundantes da zona, sendo conhecido que a a exploração das águas de Alfama se manteve durante todo o período histórico moderno sob a forma de alcaçarias para tratamento de couros e lãs ou de banhos termais.

Assim sendo parece viável a hipótese de este Beco do Surra ter sido originado por neste arruamento existirem artífices da arte de curtir peles. Vieira da Silva, em A Cerca Fernandina de Lisboa (1949), defende que a origem seja de uma alcunha afirmando «Desconhecemos quem foi o personagem cuja pitoresca alcunha deu nome ao beco».

Freguesia de Santa Maria Maior  (Foto: Artur Matos)

Freguesia de Santa Maria Maior
(Foto: Artur Matos)

Freguesia de Santa Maria Maior

Freguesia de Santa Maria Maior

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s