De São Roque à Misericórdia, passando pelo Mundo

Freguesia da Misericórdia (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia da Misericórdia
(Foto: Sérgio Dias)

A artéria que hoje conhecemos como Rua da Misericórdia viveu-a Ramalho Ortigão como Rua Larga de São Roque e como Rua do Mundo, muito graças a ser a morada do Restaurante Tavares onde os Vencidos da Vida se encontravam para jantar.

Este arruamento começou por ser a Rua Larga de São Roque, dada a proximidade à Igreja e Convento de São Roque,  que afinal também deu o topónimo inicial do Bairro: Alto de São Roque. Porém, no final do séc. XIX viu o seu nome encurtado para Rua de São Roque, por deliberação camarária de 18/05/1889 e consequente edital de dia 8 do mês seguinte.

Rua do Mundo em 1915, no dia do funeral do diretor do jornal (Foto: Joshua Benoliel, Arquivo Municipal de Lisboa)

Rua do Mundo em 1915, no dia do funeral do diretor do jornal
(Foto: Joshua Benoliel, Arquivo Municipal de Lisboa)

Depois, o jornal O Mundo, órgão republicano de António França Borges (1871-1915) e matutino de grande tiragem, criado em 16 de setembro de 1900, instalou-se primeiro nas Rua das Gáveas num edifício que foi depois englobado numa nova edificação com a fachada principal para a Rua de São Roque e na qual até exibia um grande globo. E assim, a edilidade republicana tornou a artéria numa homenagem ao jornal ficando como Rua do Mundo, através do Edital de 18/11/1910.

Já no final da década de trinta do século XX, pelo Edital de 19/08/1937, a edilidade indexou-a antes à Misericórdia de Lisboa, cuja sede se encontra no Largo que encima esta rua e até hoje perdurou como Rua da Misericórdia.

Freguesia da Misericórdia

Freguesia da Misericórdia

 

 

Anúncios

6 thoughts on “De São Roque à Misericórdia, passando pelo Mundo

  1. Pingback: Forcas e fogueiras no Campo de Santa Bárbara, hoje Largo | Toponímia de Lisboa

  2. Pingback: A Rua Nova da Trindade de 1836 | Toponímia de Lisboa

  3. Pingback: A quinhentista Travessa da Espera dos antigos joalheiros da Coroa e do Farta-Brutos | Toponímia de Lisboa

  4. Pingback: O fado de Marceneiro ou Ti Alfredo numa rua de Marvila | Toponímia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s