A Rua do militar e matemático Filipe Folque

 

Freguesia das Avenidas Novas (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia das Avenidas Novas
(Foto: Sérgio Dias)

Vinte anos após o seu falecimento, o militar e matemático Filipe Folque que foi o responsável por um levantamento cartográfico da cidade de Lisboa na 2ª metade do séc. XIX, deu o seu nome a uma artéria das Avenidas Novas, entre a Rua de São Sebastião de Pedreira e a Avenida Duque d’Ávila, por via do Edital municipal de 29/11/1902.

O mesmo Edital colocou nesta zona, em Avenidas, os nomes dos políticos António de Serpa, Casal Ribeiro, Duque D’Ávila, Hintze Ribeiro (hoje Avenida Miguel Bombarda), José Luciano (hoje Avenida Elias Garcia),  e em Ruas, os nomes de Andrade Corvo, António Enes, Barros Gomes (hoje Rua Viriato), Latino Coelho , Luís Bivar (hoje Avenida), Martens Ferrão, Pinheiro Chagas e o médico Pedro Nunes.

Filipe FolqueFilipe de Sousa Folque (Portalegre/28.11.1800 – 27.12.1874/Lisboa), filho do General Pedro Folque, foi um militar de carreira doutorado em Matemática desde 1826 pela Universidade de Coimbra, que como docente começou na Universidade de Coimbra (1834) e depois, seguiu como lente na Academia de Marinha (1836) onde criou o curso de engenheiro hidrógrafo, como lente de Astronomia e Geodesia na Escola Politécnica de Lisboa (desde 1840) e como professor de matemática dos filhos da rainha D. Maria II.

Notabilizou-se sobretudo por entre 1844 e 1870 ter sido o Diretor-geral dos Trabalhos Geodésicos do Reino, apoiado pelo Ministro da Obras Públicas Fontes Pereira de Melo, e nessa qualidade ter dirigido, entre 1856 e 1859, um levantamento topográfico de Lisboa (a Carta topographica da cidade de Lisboa, publicada em 1878) determinado pela Portaria de 02/11/1853, no âmbito da qual colocou chapas de ferro fundido, a um altura de 3 metros, com a cota de nível dos arruamentos. Filipe Folque já havia elaborado a Carta Geral do Reino ou Carta Corográfica de Portugal (1843) e a Carta do Plano Hidrográfico da barra do Porto de Lisboa,  para além de ter dado a lume diversos estudos como, por exemplo, Memória dos Trabalhos Geodésicos executados em Portugal (1841), Tábuas para o Cálculo das Distâncias à Meridiana (1855), Dicionário do Serviço dos trabalhos geodésicos e topográficos do Reino; ou Rapport sur les travaux géodésiques du Portugal et sur l’état actuel de ces mêmes travaux pour être présenté à la Comission Permanente de la Confèrence Internationale (1868).

Refira-se ainda que Filipe Folque desempenhou as funções de diretor das obras do Mondego (1826) e de ajudante do Observatório da Universidade de Coimbra (1827).  Colaborador assíduo da Revista Militar e da Revista universal lisbonense também  foi feito sócio efetivo da Academia Real das Ciências de Lisboa desde 1834 e aí veio mesmo a ser Diretor de classe (1850), para além de ter colaborado com Almeida Garrett na fundação do Conservatório Nacional, dados os seus grandes conhecimentos musicais, chegando mesmo a Diretor da Secção de Música, e publicando na Revista do Conservatório Real de Lisboa.

Freguesia das Avenidas Novas (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia das Avenidas Novas
(Planta: Sérgio Dias)

Advertisements

22 thoughts on “A Rua do militar e matemático Filipe Folque

  1. Pingback: Da Rua do Corpo Santo do «British Bar» à Rua do bombeiro Bernardino Costa | Toponímia de Lisboa

  2. Pingback: A Praça da Ribeira ou Ribeira Nova | Toponímia de Lisboa

  3. Pingback: A Travessa de José António Pereira e o Palacete Pombal | Toponímia de Lisboa

  4. Pingback: Da estrada que vai para Cata que Farás à seiscentista Rua do Alecrim da Fábrica de Sant’Anna | Toponímia de Lisboa

  5. Pingback: O pedido de alteração da Calçada da horta do Cabra | Toponímia de Lisboa

  6. Pingback: O pedido de mudança da Rua Agostinho Lourenço, nome igual ao do diretor da PIDE | Toponímia de Lisboa

  7. Pingback: A Senhora do Monte do Carmo entre a Penha de França e a Procissão | Toponímia de Lisboa

  8. Pingback: De Santo Antoninho e da Vitória à misteriosa Senhora da Piedade | Toponímia de Lisboa

  9. Pingback: A Estrada e a Travessa da Senhora dos Prazeres da Fonte Santa | Toponímia de Lisboa

  10. Pingback: A Senhora da Glória numa Rua e numa Travessa de São Vicente | Toponímia de Lisboa

  11. Pingback: O regenerador Martens Ferrão na rua onde se ergueu o Cinema Mundial | Toponímia de Lisboa

  12. Pingback: A Avenida do Duque d’Ávila e o cinema dos três nomes | Toponímia de Lisboa

  13. Pingback: A Rua do autor da cartografia de Lisboa conhecida como «Levantamento de Silva Pinto» | Toponímia de Lisboa

  14. Pingback: As Ruas Direitas | Toponímia de Lisboa

  15. Pingback: O par de ruas em cotovelo | Toponímia de Lisboa

  16. Pingback: Ruas com Arcos | Toponímia de Lisboa

  17. Pingback: Da Estrada à Rua do Arco do Cego | Toponímia de Lisboa

  18. Pingback: A aldeia do Alto do Longo do Bairro Alto | Toponímia de Lisboa

  19. Pingback: Ruas com Igreja | Toponímia de Lisboa

  20. Pingback: Ruas do Meio | Toponímia de Lisboa

  21. Pingback: Ruas do Sul | Toponímia de Lisboa

  22. Pingback: Ruas do Sol | Toponímia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s