A Praça do fundador do Benfica Cosme Damião

Freguesias de São Domingos de Benfica e de Carnide (Foto: Sérgio Dias)

Freguesias de São Domingos de Benfica e de Carnide
(Foto: Sérgio Dias)

Por sugestão do Sport Lisboa e Benfica, analisada pela Comissão Municipal de Toponímia, foi o nome de Cosme Damião, fundador do Sport Lisboa e Benfica, aprovado para ser o topónimo de um arruamento próximo do Estádio do Sport Lisboa e Benfica, o que aconteceu com a publicação do Edital municipal de 25/11/1991,  e assim encontramos a Praça Cosme Damião no espaço hoje delimitado pela Avenida do Colégio Militar, Avenida Eusébio da Silva Ferreira, Rua José Maria Nicolau e viaduto de acesso à Avenida Lusíada.

Cosme Damião integra assim a toponímia alfacinha por ser um dos elementos do grupo de jovens conhecidos por Catataus, na maioria alunos da Casa Pia de Lisboa, que na Rua de Belém, na Farmácia Franco (dos familiares de Pedro Augusto Franco), fundaram o Sport Lisboa no dia 28 de fevereiro de 1904, sendo que quatro anos depois, a 13 de setembro de 1908 o Sport Lisboa e o Grupo Sport Benfica juntaram-se para formar o Sport Lisboa e Benfica, já com uma águia no símbolo.

Cosme Damião

Cosme Damião (Lisboa/02.11.1885 – 12.06.1947/Sintra) que fez a sua formação escolar na Casa Pia de Lisboa a partir de 1896, também  aí iniciou a sua carreira de futebolista na equipa escolar. Jogou na 2.ª categoria nas épocas de 1904/1905 e 1905/1906, estreando-se em 17 de março de 1906 na 1.ª categoria como defesa direito. Integrou ainda a 1ª Seleção de Lisboa em Huelva e foi capitão e médio centro da Seleção Nacional que jogou no Brasil, em 1913. Cinco vezes campeão regional (3 consecutivas), recebeu a Águia de Ouro em 15 de 0utubro de 1935 e foi vencedor de oito taças, duas das quais em torneios internacionais. Foi considerado o futebolista que participou em mais jogos consecutivos: 154 jogos. Em 26 de fevereiro de 1916, aos 30 anos, escolheu jogar pela última vez, contra o Fortuna de  Vigo, mas manteve-se como Capitão-geral, a selecionar e treinar futebolistas até 1925/26, como aliás já fizera em 1908 e 1909.

Cosme Damião foi também guarda-redes de hóquei em campo e fixou as regras do hóquei em patins, tendo mesmo arbitrado o primeiro desafio desta modalidade no nosso país, em 1917.

Grande entusiasta da construção do Estádio das Amoreiras, primeiro recinto propriedade do Clube, inaugurado em 1925, Cosme Damião permaneceu 18 anos consecutivos no comando técnico do clube como coordenador do futebol  e foi também dirigente do clube da Luz, enquanto vogal(1909, 1912 e 1913), tesoureiro (1918, 1919 e 1924), vice-presidente (1910, 1911, 1923, 1925) e presidente da Assembleia Geral (de 1931 a 1934 inclusive) ostentando o Museu do Benfica o seu nome. Patrocinou também a absorção do Desportos de Benfica em 1916 que passou a ser a sede do Benfica e a instalação de um secretaria do clube na Baixa lisboeta em 1922.

Cosme Damião foi também dirigente da Liga Portuguesa de Futebol em 1909 e do Casa Pia Atlético Clube em 1936-37, para além de se ter destacado no campo do jornalismo desportivo, sendo um dos fundadores do jornal Sport de Lisboa, que dirigiu de 1927 a 1931. Foi também o autor de Apontamentos e Recortes sobre Football Association (1925).

Freguesias de São Domingos de Benfica e de Carnide (Planta: Sérgio Dias)

Freguesias de São Domingos de Benfica e de Carnide
(Planta: Sérgio Dias)

 

Anúncios

One thought on “A Praça do fundador do Benfica Cosme Damião

  1. Pingback: Património Comum do Desporto na Toponímia de Lisboa: os Dirigentes Desportivos | Toponímia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s