A republicana Avenida Estados Unidos da América

A Avenida dos Estados Unidos da América na década de 50 do séc. XX (Foto: Judah Benoliel, Arquivo Municipal de Lisboa)

A Avenida dos Estados Unidos da América na década de 50 do séc. XX
(Foto: Judah Benoliel, Arquivo Municipal de Lisboa)

Casado desde 1946 com Regina Kasprzykowsky, uma professora polaca que se encontrava em Portugal refugiada da guerra, Vergílio Ferreira acabou por fixar-se em Lisboa no final da década de 50 do séc. XX quando garantiu um lugar de professor no Liceu Camões e desde aí morou para sempre na Avenida Estados Unidos da América, em Alvalade.

A Avenida Estados Unidos da América nasceu do Edital municipal de 07/08/1911 para substituir o anterior topónimo Avenida Joaquim Larcher, que homenageava aquele que fora Governador Civil de Lisboa em 1835-1836, Director da Biblioteca Pública e que colaborou com Fontes Pereira de Melo na criação do Ministério das Obras Públicas em 1852.

Pelo mesmo edital de 1911 foram atribuídos mais 37 topónimos, sendo que no período da I República, a Câmara de Lisboa evocou na sua toponímia sobretudo, os que defenderam ideias liberais e republicanos e assim se justifica a homenagem ao país da Estátua da Liberdade, uma federação de estados republicanos, através da Avenida Estados Unidos da América.

Em 1918, foi também dada à Avenida das Cortes o nome de Avenida Presidente Wilson, em homenagem ao Presidente dos Estados Unidos da América entre 1911 e 1921, que instituiu o sufrágio feminino e foi Prémio Nobel da Paz em 1919, após o final da I Guerra Mundial.

Depois, em 1924,  foi a vez de criar o Bairro América e de perpetuar nas suas placas toponímicas os americanos Franklin (estadista preponderante na independência das 13 colónias norte-americanas em 1783), Washington (o 1º Presidente dos Estados Unidos da América), bem como o brasileiro Rui Barbosa (1849-1923), jornalista e orador que lutou na campanha abolicionista, contra a ditadura e na defesa do princípio da igualdade das nações. Refira-se ainda que foi também atribuído o topónimo Rua Bolívar, lembrando o venezuelano que combateu o domínio espanhol na América do Sul e assim fundou a República da Bolívia e procurou implantar a República dos Estados Unidos do Sul com a junção da Bolívia, Venezuela e Colômbia, mas cuja artéria nunca chegou a ser concluída.

Freguesia de Alvalade (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia de Alvalade
(Foto: Sérgio Dias)

Freguesia de Alvalade (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia de Alvalade
(Planta: Sérgio Dias)

Anúncios

3 thoughts on “A republicana Avenida Estados Unidos da América

  1. Pingback: O Largo Associação Ester Janz em Marvila | Toponímia de Lisboa

  2. Começamos por pedir desculpa por só responder agora.
    E agradecemos a sua chamada de atenção que já corrigimos porque era mesmo Avenida Presidente Wilson. Aliás, porque seguindo o link que tinha era justamente essa denominação que se encontrava.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s