A Avenida Casal Ribeiro Em Nome da Terra

Freguesia de Arroios (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia de Arroios
(Foto: Sérgio Dias)

Para escrever o seu romance Em Nome da Terra, cuja 1ª edição saiu em 1990, Vergílio Ferreira fotografou intensamente a Praça Duque de Saldanha e a Avenida Casal Ribeiro, para que a memória não traísse nenhum pormenor dos arruamentos que escolhera para cenário desse livro.

A Avenida Casal Ribeiro nasceu 88 anos antes, por via do Edital municipal de 29/11/1902, para ser o topónimo da via pública que existia entre a Praça Duque de Saldanha e o Largo de Dona Estefânia. Entre setembro de 1900 e agosto de 1906 encontramos diversos documentos municipais relacionados com a execução da «Avenida do Conde de Casal Ribeiro», nomeadamente que foram expropriados e trocados terrenos para o efeito, como Espinhaço de Cão e Terra do Alto.

Refira-se ainda que o Largo do Ministro, entre a Rua Direita da Ameixoeira e a Estrada da Ameixoeira, perpetua o mesmo homenageado por causa da Quinta e Palacete do Conde de Casal Ribeiro neste local e assim ficou denominado no século XIX.

O homenageado é José Maria do Casal Ribeiro (Lisboa/18.04.1825 – 14.06.1896/Madrid), conde de Casal Ribeiro por decreto régio de 28 de maio de 1870, que  foi um político do rotativismo português  dos finais do séc. XIX e como tal foi deputado, para além de ter desempenhado os cargos de Ministro da Fazenda (de 16 de março de 1859 a 20 de julho de 1860), dos Negócios Estrangeiras (de 24 de abril a 4 de junho de 1860 e  de maio de 1866 a 4 de janeiro de 1868), e ainda das Obras Públicas, Negócios e Indústria (de 9 de maio a 6 de junho de 1866), de Conselheiro de Estado bem como de embaixador em Paris e Madrid.

Freguesia de Arroios (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia de Arroios
(Planta: Sérgio Dias)

Anúncios