Fernando Assis Pacheco na Tinta da China e a Rua Francisco Ferrer

Freguesia de São Domingos de Benfica (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia de São Domingos de Benfica
(Foto: Sérgio Dias)

A última obra publicada de Fernando Assis Pacheco, no final do ano passado,  é  Bronco Angel , pela Tinta da China, que tem sede no nº 6-A da Rua Francisco Ferrer, republicano e fundador da Escola Moderna fuzilado em 1909, cujas últimas palavras foram «Hijos mios apuntad bien! No teneis culpa. Soy inocente. Viva la Escuela Moderna!»

Aliás, esta Rua Francisco Ferrer que nasceu na Rua “B” no Alto dos Moinhos pelo Edital municipal de 04/05/2011, foi inaugurada no dia 5 de outubro de 2011, como as de mais 6 republicanos – Augusto Monjardino  (Jardim), Jaime Batalha Reis (Rua), João Chagas (Rua), Luz de Almeida (Rua), Machado Santos (Avenida) e Mário de Azevedo Gomes (Rua) – no âmbito das comemorações municipais do Centenário da República.

Quando em 1909 esteve em Portugal, Francisco Ferrer visitou a Escola-Oficina nº 1, no Largo da Graça, que seguia a pedagogia por ele defendida, mas foi prontamente conduzido pela polícia ao Governo Civil para ser reconduzido para Espanha, onde foi preso a 1 de Setembro de 1909, acusado de ter sido o instigador da Semana Trágica de Barcelona e fuzilado em 13 de outubro de 1909, o que despoletou manifestações por toda a Europa e no Brasil a deplorarem o sucedido, incluindo o próprio Papa. Em Lisboa, uma multidão nas ruas gritou contra «a Espanha Negra e o governo de Maura» e encaminhou-se para a legação espanhola sendo dispersada pelas forças da autoridade e continuado o  protesto no Rossio. É neste contexto que oito dias depois da morte de Francisco Ferrer, na reunião de Câmara de 21 de outubro de 1909, é dado conta que a Comissão paroquial republicana do Campo Grande propunha a substituição da Avenida do Parque por Avenida Francisco Ferrer, a junta paroquial da Ajuda e diversos munícipes também pediam o nome do pedagogo para uma rua da capital (tal como 8 dias depois também sucede com a junta da paróquia da Encarnação) e, o presidente da edilidade, Braamcamp Freire, apresentou um voto de pesar e uma proposta para lhe dar nome de rua em Lisboa, aprovada por unanimidade, tendo o vereador Agostinho Fortes sido incumbido de designar a via pública para o efeito. Contudo, o Governo Civil de Lisboa anulou o efeito prático dessa deliberação e, só após a implantação da República, o executivo lisboeta, na sua reunião de 4 de setembro de 1913, voltou a dar o nome de Francisco Ferrer, desta feita à antiga Rua da Conceição da Glória, embora não se encontre o Edital que o fixou na toponímia lisboeta, de que resulta que em 2011 fique finalmente na toponímia alfacinha.

Francesc Ferrer y Guàrdia (Espanha – Alella/14.01.1859 – 13.10.1909/Barcelona – Espanha), era um catalão republicano, maçónico e fundador da Liga Internacional para a Educação Racional da Infância que em agosto de 1901 fundou a Escola Moderna, com uma metodologia baseada na cooperação e no respeito mútuo, para crianças de ambos os sexos desfrutarem de uma situação de igualdade desde cedo, e sem repressão, castigos, submissão e obediência. Os seus métodos de ensino – não-autoritários, racionalistas, com turmas mistas – provocaram na época a oposição dos mais conservadores da sociedade e da igreja e o movimento republicano assumiu Ferrer como o pedagogo do cidadão novo.

Durante a I República espanhola (1873-1874) Ferrer participou nas experiências de educação popular e apoiou a insurreição militar de 1886 que pretendia proclamar a República mas o fracasso desta conduziu-o ao exílio em Paris, onde sobreviveu ensinando espanhol e maturando os conceitos educativos que aplicaria na sua Escola Moderna. Mais tarde passou a anarquista, empenhando-se na campanha para a libertação dos presos de Alcalá del Valle bem como na criação do núcleo sindicalista de Barcelona da Solidariedad Obrera e, de 1901 a 1903, publicando artigos no jornal A Greve Geral onde reconheceu a tese libertária da greve geral como prelúdio da revolução social.

Freguesia de São Domingos de Benfica (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia de São Domingos de Benfica
(Planta: Sérgio Dias)

Anúncios

One thought on “Fernando Assis Pacheco na Tinta da China e a Rua Francisco Ferrer

  1. Pingback: A Rua do vereador republicano Luís Filipe da Mata | Toponímia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s