Património Comum do Desporto na Toponímia de Lisboa: os Dirigentes Desportivos

Os dirigentes desportivos também surgem nos topónimos lisboetas, em representação do Comité Olímpico Português, do Casa Pia Atlético Clube, do Sport Lisboa e Benfica e do Sporting Clube de Portugal.

Rua Engº Nobre Guedes, atribuída pelo Edital camarário de 20/05/1970, homenageia o engenheiro e desportista (Beja/12.02.1893 – 27.10.1969/Lisboa) cujo nome ficou ligado ao Comité Olímpico português por ter sido seu Secretário-Geral,  Vice-presidente, Presidente e Presidente de honra. Nobre Guedes foi também dirigente do Clube Internacional de Futebol (CIF) e presidente das Federações Portuguesas de Atletismo, de Boxe e da União do Pentatlo Moderno.

Rua Alfredo Soares, atribuída Edital municipal de 05/06/1972, perpetua o director da Casa Pia de Lisboa (Lisboa/1869 – 02.12.1951/Lisboa)  que foi também o 1º Presidente do Casa Pia Atlético Clube, de 3 de julho de 1920 até 1923 e também em 1928/29, a partir do núcleo fundador de 18 ex-alunos da Casa Pia que contava com Cândido de Oliveira, Ricardo Ornelas, Mário da Silva Marques, António Pinho e David Ferreira. Alfredo Soares foi também o 1º Presidente da Liga Portuguesa dos Clubes de Natação em 1921.

A Praça Cosme Damião, atribuída pelo Edital de 25/11/1991 , fixa um dos fundadores do Sport Lisboa e Benfica (Lisboa/02.11.1885 – 12.06.1947/Sintra) nas proximidades do Estádio da Luz, atleta, árbitro do 1º desafio de hóquei em patins em Portugal (1917), treinador de futebol que enquanto dirigente do clube da Luz foi vogal, tesoureiro, vice-presidente e presidente da Assembleia Geral, ostentando o Museu do Benfica o seu nome, tendo sido iniciativa sua a instalação de um secretaria do clube na Baixa lisboeta em 1922. Cosme Damião foi ainda dirigente da Liga Portuguesa de Futebol (1909) e do Casa Pia Atlético Clube (1936-37), para além de se ter destacado no campo do jornalismo desportivo, sendo um dos fundadores do jornal Sport de Lisboa, que dirigiu de 1927 a 1931.

A Rua Félix Bermudes, nascida do Edital municipal de 31/08/1993, fixou o escritor teatral (Porto/04.07.1874- 05.01.1960/Lisboa) que foi também com Ernesto Rodrigues e João Bastos autor do guião do filme O Leão da Estrela (1947), criador da divisa benfiquista E Pluribus Unum  e autor da letra do primeiro Hino do Benfica, desportista e também fundador do Sport Lisboa e Benfica,  e seu dirigente como vogal da Direção e eleito seu Presidente por 3 vezes.

A Rua Francisco Stromp, gerada pelo Edital camarário de 26/03/1971 e junto ao Estádio de Alvalade, homenageia um dos fundadores do Sporting Clube de Portugal (Lisboa/21.05.1891 – 01.07.1930/Lisboa),  atleta e dirigente sportinguista, por dez vezes na direção como membro da Mesa da Assembleia Geral, Vogal e Vice-Presidente. Ao seu nome se deve a forma como é conhecida a camisola sportinguista de duas metades verticais, verde e branca, e a inspiração para o Grupo Stromp, criado em 1962, e que atribui o maior  galardão do Clube leonino.

Francisco Stromp

NOTA: Quase todos os topónimos relacionados com desporto em Lisboa estão já publicados neste blogue e pode consultá-los descendo até ao fundo do mesmo, e na zona azul, encontrar as «Categorias» e aí clicar em Desporto e Desportistas na Toponímia de Lisboa, para aceder a todas as publicações.

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s