A Rua do médico e olisipógrafo Eduardo Neves

Freguesia das Avenidas Novas (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia das Avenidas Novas
(Foto: Sérgio Dias)

No próprio ano do seu falecimento foi o médico, olisipógrafo e vereador da Câmara Municipal de Lisboa Eduardo Neves colocado como nome do arruamento projetado entre as Avenidas da República e Cinco de Outubro, paralelo ao viaduto de Caminho de Ferro, com a legenda «Olisipógrafo/1895 – 1973», por via do Edital municipal de 3 de setembro de 1973.

Eduardo Augusto da Silva Neves, (Lisboa/22.05.1895-?.07.1973/Lisboa), nascido na então freguesia de São Julião, foi um médico formado em 1920, com especialização em Medicina Legal e em Higiene Pública, e quadro dirigente da Sociedade de Ciências Médicas, que também desempenhou funções de Vereador na Câmara Municipal de Lisboa, de 1955 a 1959, nomeadamente como Presidente da  Comissão Municipal de Higiene e do Prémio Augusto de Castilho, tendo ainda proposto os nomes de Alexandre Ferreira, Luís Gonzaga Pereira e Frei Bartolomeu dos Mártires para topónimos de Lisboa.

Freguesia das Avenidas Novas - Plca Tipo IV (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia das Avenidas Novas – Placa Tipo IV
(Foto: Sérgio Dias)

O Dr. Eduardo Neves dedicou um interesse muito especial  aos Estudos Olisiponenses e nesse sentido, foi também um dos  fundadores do Grupo «Amigos de Lisboa» e nele exerceu cargos dirigentes. Proferiu diversas palestras de que destacamos «As ruínas do Carmo» e «Igreja de Nossa Senhora da Penha de França», ambas em 1938, a palestra proferida no dia 29 de outubro de 1939 na Basílica dos Mártires comemorando o 792º aniversário da tomada de Lisboa, «O Convento dos Barbadinhos Italianos» (8 de abril de 1951), a homenagem a Matos Sequeira na Casa da Imprensa (1955), «Um Arcebispo-Primaz natural de Lisboa» (1956) ou uma sobre o centenário do nascimento do Engº Vieira da Silva (1969).

Para além das suas palestras e conferências deu ainda a lume A Faculdade de Medicina de Lisboa : apontamentos e notas sobre o edifício e o local  (1939),  Lisboa na numismática e na medalhística (1942),  Lisboa nos ex-libris (1943), Do sítio do Intendente (1950), Um Passeio no Bairro Alto (1950), Um Passeio no Tejo (1953), Lisboetas na Índia e Luso-indianos em Lisboa (1954),    Um desenho à pena da autoria de Júlio de Castilho (1957), Uma recordação sebástica no sitio da Luz : uma pedra-de-armas, um testamento e um poema (1958), Dos selos pendentes do Arquivo da Santa Casa da Misericórdia (1959); Um pintor romântico francês em Lisboa, em 1837 : um quadro olisiponense no Museu de Dôle (1961).  A propósito do 50º aniversário do lançamento da primeira pedra do edifício da Sociedade a Voz do Operário (1963).

Eduardo Neves foi ainda colaborador das revistas Arquivo de Medicina Legal, Arquivo do Instituto de Medicina Legal, Feira da Ladra e da Olissipo do Grupo «Amigos de Lisboa».

 

Freguesia das Avenidas Novas (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia das Avenidas Novas
(Planta: Sérgio Dias)

Anúncios

One thought on “A Rua do médico e olisipógrafo Eduardo Neves

  1. Pingback: Professores na Toponímia de Lisboa | Toponímia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s