A I Guerra na Toponímia do Bairro América

Freguesia de São Vicente (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia de São Vicente
(Planta: Sérgio Dias)

Os Estados Unidos da América declararam guerra à Alemanha em abril de 1917 e no ano seguinte findou a I Guerra Mundial. Em Lisboa, 14 dias após a assinatura do armistício de Compiègne (11 de novembro), a deliberação camarária de 25 de novembro de 1918, denominou um novo bairro,  construído entre 1915 e 1920 na antiga Quinta das Marcelinas, como Bairro América e as suas artérias com os nomes de dois norte-americanos e de outras figuras ligadas ao continente americano.

Já antes mesmo da assinatura do armistício, por deliberação camarária de 19 de setembro e edital de 24 de setembro de 1918, Lisboa homenageara numa Avenida o então Presidente dos Estados Unidos da América, Thomas Woodrow Wilson.

A deliberação municipal especificou «Que se denomine Bairro America, o bairro em construção na Quinta das Marcelinas na rua do Vale de Santo Antonio e que os respectivos arruamentos tenham as designações seguintes: o nº 1, rua Franklin [Benjamin Franklin, estadista norte-americano fulcral na independência das 13 colónias inglesas para a construção dos estados americanos]; o nº 2, rua Washington [o 1º Presidente dos Estados Unidos da América]; o nº3, rua Ruy Barbosa [político e jornalista brasileiro que defendia o princípio da igualdade das nações]; o nº 4, rua Bolivar [Simon Bolívar que combateu o domínio espanhol na América do Sul, fundou a República da Bolívia e procurou implantar a República dos Estados Unidos do Sul com a junção da Bolívia, Venezuela e Colômbia]; a nº 5, rua do Costa Reais [refere-se aos Cortes Reais, família de navegadores portugueses que empreenderam navegações para o continente americano]; o nº 6, rua Fernão de Magalhães [o primeiro navegador a fazer uma viagem de circum-navegação], e o nº7, rua Alvaro Fagundes [navegador português do século XVI que explorou a costa austral da Terra Nova]. Deliberação camararia de 25 de Novembro de 1918». O Edital municipal foi publicado 6 anos mais tarde, em 17 de outubro de 1924, justificando «Por não terem sido publicados, em devido tempo, os respectivos editais, e por cumprir a esta Comissão Executiva dar execução ás deliberações do Senado Municipal».

Refira-se ainda que os arruamentos Rua Bolívar e Rua Álvaro Fagundes nunca tiveram execução prática, embora, em 1971, o nome de Álvaro Fagundes tenha regressado para a toponímia lisboeta para dar nome à Rua C, à Rua General Justiniano Padrel.

Já as Escadinhas do Bairro América, que ligam a Rua Washington à Rua Rui Barbosa, foram um topónimo atribuído 14 anos depois dos anteriores, pelo Edital de 28/12/1932,  tomando a denominação do Bairro.

Freguesia de São Vicente (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia de São Vicente
(Planta: Sérgio Dias)

Anúncios

One thought on “A I Guerra na Toponímia do Bairro América

  1. Pingback: Bolivar, o «pai» da Bolívia numa rua em papel | Toponímia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s