A Rua General José Paulo Fernandes, de Carnide à Ajuda

Freguesia da Ajuda (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia da Ajuda
(Foto: Sérgio Dias)

O General José Paulo Fernandes que no decorrer da I Guerra Mundial integrou o Corpo de Artilharia Pesada em França, e por isso foi condecorado com o grau de cavaleiro da Legião de Honra, está desde 1972 perpetuado na Freguesia da Ajuda.

Seis meses após o falecimento do General José Paulo Fernandes, a Câmara Municipal de Lisboa deu logo o seu nome à Rua B do plano de arruamentos entre a Luz e Carnide, por deliberação de 12/04/1934 e Edital de 17/04/1934. Sete anos depois, no Guia das Ruas de Lisboa de 1941 da Tipografia Gonçalves, aparece referido como «General José Paulo Fernandes (Rua). A construir nuns terrenos, à Rua da Fonte (em Carnide)» e a própria Comissão Municipal de Toponímia na sua reunião de 21/11/1944 confirmou o topónimo. Contudo, este projeto de urbanização não chegou a concretizar-se.

Assim, este topónimo foi recuperado em 1972. Em janeiro, a Comissão sugeriu que o nome do General José Paulo Fernandes fosse atribuído ao arruamento circundante do Hospital Júlio de Matos, onde se integra parte da Azinhaga das Murtas e da Rua do Fidié mas, em maio, considerando um despacho do Presidente do Município «solicitando parecer sobre alteração dos topónimos Rua junto do Quartel e Rua Detrás dos Quartéis, tendo em vista a circunstância de poderem confundir-se com a Rua dos Quartéis» a Comissão alterou a sugestão anterior sugerindo antes que as ruas Junto do Quartel e Detrás dos Quartéis (na Freguesia da Ajuda) passassem a constituir um único arruamento, denominado Rua General José Paulo Fernandes, o que se tornou realidade pelo Edital municipal de 5 de junho de 1972.

General José Paulo Fernandes

José Paulo Fernandes (17.08.1871-29.10.1933) foi um Oficial e escritor militar. Fez parte do Corpo de Artilharia Pesada, em França, durante a guerra de 1914 – 1918, pelo que foi condecorado com o grau de cavaleiro da Legião de Honra. Foi da sua responsabilidade a organização defensiva da estrada militar do Campo Entrincheirado de Lisboa bem como a reorganização do Arsenal do Exército e chegou a General em 1931.

Foi ainda diretor da Revista Militar (fundada em 1848) e colaborou com a Revista de Artilharia e a Révue Militaire Suisse, de que foi correspondente durante 20 anos. Estava também agraciado como grande oficial das Ordens de Sant’iago da Espada (1919) e de Avis (1932).

Freguesia da Ajuda (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia da Ajuda
(Planta: Sérgio Dias)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s