A Rua da família de navegadores de apelido Corte Real

Freguesia de São Vicente (Foto: Sérgio Dias)

Freguesia de São Vicente
(Foto: Sérgio Dias)

A ligar a Rua Washington à Rua Franklim foi atribuída a Rua dos Cortes Reais, à Rua 5 do Bairro América, na época uma nova urbanização erguida na antiga Quinta das Marcelinas à Rua do Vale de Santo António, por deliberação camarária de 25 de novembro de 1918 e Edital municipal de 17 de outubro de 1924,

De igual forma foram preenchidas as restantes artérias do Bairro América com topónimos relacionados com o continente americano, quer com figuras republicanas de prestígio quer com portugueses considerados heróis pelas explorações que os levaram a esse continente: «Que se denomine Bairro America, o bairro em construção na Quinta das Marcelinas na rua do Vale de Santo Antonio e que os respectivos arruamentos tenham as designações seguintes: o nº 1, rua Franklin [Benjamin Franklin, estadista norte-americano fulcral na independência das 13 colónias inglesas para a construção dos estados americanos]; o nº 2, rua Washington [ o primeiro presidente dos Estados Unidos da América]; o nº3, rua Ruy Barbosa [político e jornalista brasileiro que defendia o princípio da igualdade das nações]; o nº 4, rua Bolivar [Simon Bolívar que combateu o domínio espanhol na América do Sul, comandando as revoluções que promoveram a independência da Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia]; a nº 5, rua do Costa Reais [refere-se à Rua dos Cortes Reais, família de navegadores portugueses que empreenderam navegações para o continente americano]; o nº 6, rua Fernão de Magalhães [o primeiro navegador a fazer uma viagem de circum-navegação], e o nº7, rua Alvaro Fagundes[navegador português do século XVI que explorou a costa austral da Terra Nova]. Deliberação camararia de 25 de Novembro de 1918».

Tendo havido um engano no nome desta artéria aquando da publicação do Edital municipal de 17 de outubro de 1924 foi o mesmo corrigido pelo Edital de 2 de dezembro de 1927 especificando que «onde se lê ‘Rua de Costas Reais’, deve lêr-se ‘Rua dos Côrtes Reais’».

A Rua dos Cortes Reais em 1969 (Foto: João H. Goulart, Arquivo Municipal de Lisboa)

A Rua dos Cortes Reais em 1969
(Foto: João H. Goulart, Arquivo Municipal de Lisboa)

Vasco Anes da Costa, cavaleiro honrado de Tavira e contemporâneo do rei D. João I teve nos seus filhos a origem dos primeiros Corte Real, família distinta de navegadores dos séculos XV e XVI.

O seu filho João Vaz Corte-Real (Faro/c. 1420 – 1496/Angra do Heroísmo) ligou o seu nome ao descobrimento da Terra Nova, cerca do ano de 1472, o que o colocaria a desembarcar cerca de vinte anos antes de Colombo nas costas da América do Norte. Organizou ainda outras viagens que o terão levado até à costa da América do Norte, explorando desde as margens do Rio Hudson e São Lourenço até ao Canadá e Península do Labrador. Em 1474 foi nomeado capitão donatário de Angra do Heroísmo, cargo que acumulou com o da Ilha de S. Jorge, a partir de 1483.

Depois, três dos seus filhos com Maria da Barca – Gaspar Corte-Real, Miguel Corte-Real e Vasco Anes Corte-Real – continuaram o seu espírito de aventura tendo os dois primeiros desaparecido no seguimento de expedições marítimas, entre 1500 e 1502. Gaspar fez em 1500 a sua primeira viagem à Terra Nova, então chamada Terra Nova dos Bacalhaus ou Terra dos Corte-Reais e partiu  numa segunda expedição ao Continente Americano em 1501 e desapareceu. O irmão Miguel (nasceu cerca de 1450), partiu em 1502 em busca dele e também nunca mais foi visto.  O seu desaparecimento deu origem a pesquisas e teses controversas, como a do seu naufrágio nas costas da Nova Inglaterra, onde teria encontrado as populações índias e gravado em latim a epígrafe da  Pedra de Dighton em 1511, com escudos em V e cruzes idênticas às das caravelas portuguesa e os dizeres MIGUEL CORTEREAL pela vontade de DEUS aqui CHEFE dos ÍNDios 1511. O irmão Vasco Anes Corte Real (nasceu em   1465) foi proibido pelo rei D. Manuel  de procurar os irmãos, herdando os cargos do seu pai: alcaide-mor de Tavira e capitão da ilha de São Jorge.

João Vaz Corte-Real teve ainda as filhas Iria Corte Real ( nasceu em 1440), Joana Vaz Corte Real (nasceu em 1465 como o irmão Vasco), Isabel Corte Real e um outro filho, Lourenço Vaz Corte Real.

Freguesia de São Vicente (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia de São Vicente
(Planta: Sérgio Dias)

Anúncios

One thought on “A Rua da família de navegadores de apelido Corte Real

  1. Pingback: Bolivar, o «pai» da Bolívia numa rua em papel | Toponímia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s