Uma confraria medieval na origem da freguesia de Santa Maria dos Olivais (1372- 1483)

autocolante«Nós homens bons dos Olivais, que fizemos em serviço de Deos Confraria em a sua honra e da Bem Aventurada Santa Maria sua Madre» : Uma confraria medieval na origem da freguesia de Santa Maria dos Olivais (1372-1483).

Santa Maria dos Olivais, uma das mais antigas e importantes freguesias do termo de Lisboa, deve a sua origem não à determinação do 1.º Arcebispo de Lisboa, que erigiu esta igreja em paróquia no ano de 1397, mas a uma confraria de homens bons que se estabeleceu no lugar dos Olivais no ano de 1372. Foi esta confraria que ali edificou uma «casa de mercê», com cama e leito «para dormirem e albergarem pobres e fazerem em ela cumprir as sete obras da Mizericordia», e com um altar em que os seus confrades mandavam celebrar «tres missas em cada hum anno hua por Dia de Pentecostes e outra por Pascoa de Ressureição e outra pelo dia em que fizessem o Bodo e Cabido na dita Caza à Honra e Louvor da Virgem Maria». O aparecimento desta casa de culto, que deu origem à freguesia do mesmo nome, inseriu-se no longo e lento processo de formação de comunidades e paróquias do termo de Lisboa durante a época medieval. De facto, ao contrário do que aconteceu no núcleo urbano medieval, cujas 23 paróquias originais já se achavam instituídas em 1220 e se mantiveram estáveis até 1551; no termo de Lisboa, das 24 paróquias existentes na primeira metade do século XVI, só 9 delas são referidas já em 1220 (na sua maior parte em torno das terras reguengas dos rios de Sacavém e de Loures), as restantes foram sendo criadas ao longo dos três séculos seguintes, a uma média de  de cinco cada cem anos. As igrejas arrabaldinas ou suburbanas mais antigas (sécs. XIII e XIV), como Lumiar, Carnide e Azóia, foram fundadas por senhorios eclesiásticos e particulares, mas a partir da segunda metade do século XIV este processo adquire um cunho mais «popular», associado ao estabelecimento de confrarias locais, ditas de «homens bons», que, além do lugar de culto, mantinham estabelecimentos de mercê ou hospitais, como os de Benfica, Olivais e Oeiras.

No presente texto analisamos as circunstâncias do aparecimento da comunidade de Santa Maria dos Olivais e da sua história ao longo dos séculos XIV e XV, desde a fundação da confraria e hospital, documentada numa inédita «Carta de Compromisso dos homens bons moradores nos Olivais» de 20 de dezembro de 1372,  ao estabelecimento da paróquia e à sua união ao Convento de Santo Elói em 1483.

Rui Mendes

img_20161027_115348-22

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s