A Avenida Padre Manuel da Nóbrega nascida no 4º centenário da cidade de São Paulo

Cerimónia de descerramento da placa toponímica em 25 de janeiro de 1954 (Foto: Armando Serôdio, Arquivo Municipal de Lisboa)

Cerimónia de descerramento da placa toponímica em 25 de janeiro de 1954
(Foto: Armando Serôdio, Arquivo Municipal de Lisboa)

O sacerdote jesuíta que chefiou a 1ª expedição de missionários enviados para o Brasil, a pedido de D. João III, o Padre Manuel da Nóbrega, passou a denominar uma avenida lisboeta – por Edital e cerimónia de descerramento da placa toponímica com passadeira vermelha – em 25 de janeiro de 1954, justamente a data em que se celebrava o 4º Centenário do fundação da cidade de São Paulo, no Brasil.

Este topónimo foi sugerido à edilidade pelo Secretariado Nacional de Informação, Cultura Popular e Turismo, bem como pela Comissão Portuguesa do Centenário de São Paulo através de ofício do Ministério dos Negócios Estrangeiros, e atribuído como Avenida Padre Manuel da Nóbrega na Avenida A da zona compreendida entre a Alameda Dom Afonso Henriques e a Linha Férrea de Cintura, ao Areeiro.

padre-manuel-da-nobrega-seloManuel da Nóbrega (Entre Douro e Minho/18.10.1517 – 18.10.1570/Rio de Janeiro), foi um sacerdote jesuíta que em 1549 chefiou a 1ª expedição de missionários enviados para o Brasil, a pedido de D. João III, e assim fundou a cidade de São Paulo em 25 de janeiro de 1554. Após celebrar uma missa no local que se designava Piratininga, decidiu mudar o nome do colégio dos jesuítas no local para São Paulo, uma vez que neste dia se celebrava a conversão de Paulo ao cristianismo.

Dois anos depois também participou  na fundação da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Coube-lhe ainda lançar os fundamentos da Companhia de Jesus no Brasil através da criação de colégios –  Salvador, Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro -, bem como de aldeamentos para os índios cuja liberdade defendeu, para além do cultivo da música como auxiliar da evangelização. Junto dos índios nativos desenvolveu uma intensa campanha contra a antropofagia, ao mesmo tempo, que combatia a sua exploração pelo homem branco. Foi ainda conselheiro do governador Mem de Sá e em 1558, convenceu-o a promulgar leis que impedissem a escravização dos índios.

O Padre Manuel da Nóbrega era filho do desembargador Baltasar da Nóbrega e estudou Humanidades no Porto, tendo também frequentado como bolseiro régio as faculdades de Cânones de Salamanca e Coimbra, onde obteve o grau de bacharel em 1541. Entrou na Companhia de Jesus em 1544, tendo efectuado missões pastorais na Beira e no Minho. O seu pensamento encontra-se expresso nas Cartas, nos Apontamentos e sobretudo no Diálogo sobre a Conversão do Gentio, constituindo-se estas obras como documentos históricos sobre o Brasil e a prática dos jesuítas no século XVI.

Refira-se, a título de exemplo, que o Padre Manuel da Nóbrega dá no presente nome a ruas do Algueirão, Alijó, Coimbra, Ílhavo, Odivelas, Porto, Póvoa de Santo Adrião, bem como no Brasil em Curitiba, Governador Valadares e São Gonçalo, para além de avenidas em Espírito Santo, Macapá e  São Vicente, e ainda várias avenidas e uma praça no Estado de São Paulo.

Freguesia do Areeiro (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia do Areeiro
(Planta: Sérgio Dias)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s