A Senhora da Glória numa Rua e numa Travessa de São Vicente

Rua da Senhora da Glória em 1907 (Foto: Machado & Souza, Arquivo Municipal de Lisboa)

Rua da Senhora da Glória em 1907
(Foto: Machado & Souza, Arquivo Municipal de Lisboa)

Nossa Senhora da Glória dá nome a dois arruamentos na freguesia de São Vicente, uma Rua e uma Travessa, por via da proximidade à Ermida de Nossa Senhora da Glória ao Cardal da Graça.

Tanto a Rua como a Travessa já aparecem indicadas no Levamento Topográfico de Lisboa de 1858 de Filipe Folque e o olisipógrafo Norberto de Araújo também assegura que são topónimos do séc. XIX : « Ora aqui temos uma curiosa artéria do sítio: a Rua de Nossa Senhora da Glória, cujo enfiamento é curiosíssimo, com a silhueta de S. Vicente ao fundo. Esta rua é do princípio do século passado [ o autor refere-se ao século XIX já que ele escreve na década de trinta do séc. XX], mas a sua urbanização tem sido lenta. (…) Das várias quintas aforadas, no nosso lado esquerdo, norte, se foram erguendo prédios, alguns há poucos anos, e outros há poucos meses, como êste – repara – cujo chão se integrava na Quinta do Amaral, na esquina das Travessas e Rua da Senhora da Glória, imponente, moderníssimo de forma, desafogado, verde-ervilha, do tipo dos ‘decks’ de navio:data de 1938 e é propriedade de Luiz Ribeiro que o comprou ao construtor António da Silva. (…).»

No entanto, apesar dos diversos documentos que identificam os topónimos no séc. XIX, até nos registos de numeração predial em que num mandado datado de 19 de julho de 1893 aparece a Rua de Nossa Senhora da Glória à Graça, poderão os mesmo ter raízes mais antigas, provavelmente após o Terramoto de 1755, já que como Norberto de Araújo esclarece «Estamos agora defronte da Ermida de Nossa Senhora da Glória [na Rua da Senhora da Glória, nº 83]. É esta Ermida posterior ao Terramoto, pois foi construída em 1757 pela Irmandade daquêle orago. Nela esteve, naquêle ano, instalada provisòriamente a paroquial de Santa Maria Maior (Sé Patriarcal). (…) Nessas legendas – uma em cada lado da capela – se atesta, na da esquerda que em 1 de Novembro de 1755 descançou aqui um sacerdote que conduzia o Santíssimo, e o povo se prosternou ante a sagrada partícula, e na da direita que em 1 de Novembro de 1757 se transferiu para esta Ermida a Imagem de Nª Srª da Glória.»

Originalmente existia um painel representando Nª Srª da Glória no Cardal da Graça, sobre o qual foi construído um alpendre para o proteger, que após o Terramoto foi substituído por uma capela provisória. A irmandade de Nª Srª da Glória constituída em 1766 conseguiu a partir desse ano iniciar a construção de uma Capela com melhores condições, ao fundo da encosta que descia da Rua da Graça para o Cardal, mas 30 anos depois tinha apenas  concluído o exterior do templo e só ficou terminada em 1868, com a decoração da abóbada de madeira da nave pelo pintor F. A. Martins. A festa do orago celebra-se no primeiro domingo de julho.

A Travessa da Senhora da Glória, que une a Rua da Bela Vista à Graça à Rua da Senhora da Glória, era já a Travessa da Glória quando o Edital do Governo Civil de 1 de setembro de 1859 com o seu propósito expresso de evitar equívocos a tornou Travessa da Senhora da Glória.

Freguesia de São Vicente (Planta: Sérgio Dias)

Freguesia de São Vicente
(Planta: Sérgio Dias)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s