As quietas Travessas de Lisboa

Freguesia da Estrela  – Placa Tipo II
(Foto: Sérgio Dias)

Lisboa tem hoje 361 Travessas. Só as Freguesias do Areeiro e de Marvila não possuem nenhuma. A Travessa é uma rua estreita, secundária e transversal a duas outras artérias principais que põe em comunicação e, a sua toponímia é na sua grande maioria antiga e vinculativa das vivências locais.

Assim, começamos por mencionar as Travessas cujo topónimo é igual a uma Rua, Calçada ou Largo próximo, mesmo se no decorrer do tempo foi substituído por outro, que são 104. São disso exemplo a Travessa da Cruz da Era ( Benfica ), a Travessa de Palma ( São Domingos de Benfica ), a Travessa da Luz ( Carnide ), a Travessa dos Jerónimos ( Belém ), a Travessa Dom João de Castro (Ajuda), a Travessa Artur Lamas ( Belém, Alcântara ), a Travessa do Calvário (Alcântara), a Travessa dos Prazeres ( Campo de Ourique ), a Travessa do Possolo ( Estrela ), a Travessa de São Paulo ( Misericórdia ), a Travessa da Glória (Santo António), a Travessa da Cruz do Torel (Santo António, Arroios), a Travessa de Dona Estefânia,  a Travessa do Desterro ( Arroios , Santa Maria Maior ), a Travessa de Santa Luzia ( Santa Maria Maior ), a Travessa de São Tomé ( Santa Maria Maior, São Vicente ), a Travessa de Santa Marinha ( São Vicente ), a Travessa do Alto do Varejão (Penha de França),  a  Travessa da Picheleira ( Beato ), a Travessa de São Sebastião da Pedreira (Avenidas Novas), a Travessa do Pote de Água ( Alvalade ), a Travessa do Alqueidão (Lumiar) e a Travessa de São Bartolomeu (Santa Clara).

Também alguns becos viram ao longo do tempo a sua toponomemclatura ser mudada para Travessa, quer por pedido dos residentes, quer por as suas características urbanísticas se terem modificado.  Neste caso, encontramos 19 Travessas, como por exemplo, Travessa de Paulo Jorge (Belém), Travessa do Chafariz (Ajuda), Travessa do Livramento (Alcântara), Travessa do Barbosa (Campo de Ourique),  Travessa do Norte à Lapa (Estrela), Travessa do Carvalho ( Misericórdia ), Travessa do Chão da Feira (Santa Maria Maior), Travessa de Gaspar Trigo (  Santa Maria Maior, Arroios ), Travessa da Pena (Arroios), Travessa dos Remédios ( São Vicente , Santa Maria Maior ), Travessa de Santo André à Ameixoeira (Santa Clara).

Freguesia da Estrela – Placa Tipo II
(Foto: Sérgio Dias)

Já as Travessas cujas características e o local onde estão inseridas se reproduz no topónimo são 118. Escolhendo uma por freguesia podemos apontar como exemplos a Travessa do Poço (Parque das Nações),  a Travessa dos Buracos (Olivais), a Travessa de Santo António (Santa Clara), a Travessa do Canavial (Lumiar), a Travessa do Jogo da Bola (Carnide), a  Travessa do Rio (Benfica), a Travessa das Águas-Boas (São Domingos de Benfica), a Travessa do Espírito Santo ( São Domingos de Benfica , Avenidas Novas ), a Travessa do Rio Seco ( Ajuda ), Travessa da Memória ( Ajuda , Belém ), Travessa dos Algarves ( Belém ), a Travessa da Praia ( Alcântara ), a Travessa da Rabicha ( Campolide ), a Travessa de Cima dos Quartéis ( Campo de Ourique ), a Travessa do Convento das Bernardas (Estrela), a Travessa da Fábrica dos Pentes (Santo António), a Travessa do Poço da Cidade (Misericórdia), a Travessa do Cotovelo( Misericórdia , Santa Maria Maior ), a Travessa dos Teatros ( Santa Maria Maior ), a Travessa do Hospital ( Santa Maria Maior , Arroios ),  Travessa do Forno do Maldonado ( Arroios ), Travessa do Açougue ( Santa Maria Maior , São Vicente ), Travessa do Recolhimento de Lázaro Leitão (São Vicente).

Freguesia de Santo António – Placa de Azulejo
(Foto: Mário Marzagão)

Também as figuras com relevância local deram o seu nome a 72 Travessas. No seguimento de uma por freguesia, destacamos a Travessa do Morais ( Lumiar ), a Travessa do Pregoeiro (Carnide), a Travessa do Desembargador (Belém), a Travessa do Machado ( Ajuda ), a Travessa do Conde da Ponte (Alcântara), a Travessa de Estêvão Pinto ( Campolide ), a Travessa do Pasteleiro ( Estrela ), a Travessa do Fala-Só (Santo António), a  Travessa dos Inglesinhos (Misericórdia),  a Travessa do Almada (Santa Maria Maior), a Travessa do Torel (Arroios), a Travessa das Mónicas ( São Vicente ) e a Travessa do Calado (Penha de França).

Mas também figuras com relevância nacional foram colocadas em 12 Travessas, em épocas em que a carência de novos arruamentos se fazia sentir em Lisboa. Na Ajuda, pelo Edital de 07/08/1911, foi  Travessa Silva Porto, com a legenda «Herói de Ultramar/1817 – 1890» e a  Travessa Rui de Pina (um cronista do séc. XV ao serviço de D. João II).  Em Alcântara, pelo Edital de 27/04/1914 foi a vez da Travessa Teixeira Júnior, um jornalista republicano. Cerca de 12 anos depois foi a vez do Edital de 18/06/1926 atribuir em Benfica as Travessas Abade Pais, Miguel VerdialSargento Abílio, todos participantes do 31 de Janeiro de 1891, o escritor e polemista de jornais absolutista com a Travessa de José Agostinho de Macedo, um compositor com a Travessa Marques Lésbio e um pintor com a  Travessa de Francisco Rezende. Seis dias depois foi o Edital que 24/06/1926 que colocou em Alvalade a Travessa Henrique Cardoso, jornalista que também participou no 31 de Janeiro de 1891. E cerca de dois meses depois, pelo Edital de 20/08/1926, foi a vez de colocar o compositor e fundador dos Bombeiros Voluntários Guilherme Cossoul numa Travessa da hoje freguesia da Misericórdia. E finalmente, pelo Edital de  03/11/1986, em São Domingos de Benfica, foi atribuída a  Travessa Carlo Paggi, que homenageia um diplomata genovês do séc. XVII que publicou a sua tradução de Os Lusíadas em 1658. Aqui podemos juntar uma 13ª Travessa que trata de uma associação nacional, a Travessa do Vintém das Escolas em Benfica, atribuída pelo Edital de 14/10/1915, sendo Vintém das Escolas uma associação criada no Porto em 1901, para recolher por todo o país contribuições individuais de um vintém (20 réis) e assim reunir fundos destinados a um vasto movimento em benefício da instrução e educação das classes menos privilegiadas, dirigida por Francisco Gomes da Silva, Filipe da Mata e Heliodoro Salgado, entre outros.

Freguesia do Parque das Nações
(Foto: Sérgio Dias)

A freguesia do Parque das Nações tem ainda algumas peculiaridades nas suas Travessas herdadas da Expo 98. Tem 6 dedicadas a personagens da literatura, da banda desenhada e à mascote da Expo 98 – Travessa Corto MalteseTravessa do Gulliver, Travessa Robinson Crusoé, Travessa Sandokan, Travessa Sinbad, o Marinheiro Travessa do Gil – , mais 4 que fixam especiarias que os portugueses comerciaram a partir dos Descobrimentos – Travessa da Canela, Travessa da Malagueta, Travessa do Açafrão, Travessa do Gengibre – e ainda outras 3 referentes a aves: Travessa das Corujas, Travessa dos Mochos e Travessa dos Pintassilgos. 

Existem ainda em Lisboa outras 7 Travessas de universo florais que quando são usadas e não correspondem à flora local indicam a colocação de uma toponímia a que propositadamente não se quer dar sentido. São elas a  Travessa da Giesta, a Travessa do Alecrim, a Travessa da Madressilva, a Travessa da Verbena e a Travessa das Verduras na Ajuda;  a Travessa do Jasmim na Misericórdia e a Travessa das Flores em São Vicente.

Restam 12 Travessas cuja origem é um mistério e sobre as quais se podem levantar as mais variadas hipóteses. A Travessa da Galé em  Alcântara refere uma prisão ou um barco?… As outras onze são a Travessa das Florindas na  Ajuda, a Travessa da Paz e a Travessa do Castro na Estrela, a Travessa da Água-da-Flor, a Travessa da Cara, a Travessa da Arrochela, a Travessa da Espera e a Travessa da Portuguesa, todas na Misericórdia, a Travessa da Légua da Póvoa e a Travessa do Despacho em  Santo António e a Travessa da Amorosa, repartida pela  Penha de França e Beato.

Freguesias da Penha de França e do Beato – Placa de Azulejo
(Foto: Mário Marzagão)

Anúncios

One thought on “As quietas Travessas de Lisboa

  1. Sinto-me altamente ofendido! Não há qualquer referência às duas travessas em que morei em Lisboa: a Travessa das Isabéis e a Travessa das Amoreiras a Arroios! (Estou a brincar, claro! Abraços para todos os toponímicos).

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s