A Rua a que cada um chama sua

Rua de São Marçal – Freguesias da Misericórdia e de Santo António
(Foto: Sérgio Dias)

A Rua é o tipo de via mais usado e no plural, Ruas,  serve até para designar o conjunto das outras categorias de arruamentos: são as nossas ruas mesmo que sejam avenidas ou travessas. Lisboa tem hoje 22o4 arruamentos que são Ruas.

Freguesia de Belém – Placa Tipo V
(Foto: José Carlos Batista)

A maioria delas são antropónimos, isto é, o seu topónimo é o do nome de uma pessoa. Lisboa comporta 1494 antropónimos, de figuras locais, nacionais ou estrangeiras, de que são exemplo a Rua da Castiça, a Rua Maria de Lourdes Pintasilgo ou a Rua Vítor Hugo.

Em termos de quantidade temos a seguir os geotopónimos que são 191, onde se incluem 13 países, 38 cidades, 29 vilas, 4 mares e oceanos, 58 rios  e 62 de orientação geográfica, como por exemplo ruas do norte, do meio, do sul, da bela vista, dos arcos, do sol, da praia, do jardim ou do vale. A estes acrescem mais 39 topónimos que revelam as características físicas e típicas do local:  Rua do Aqueduto das Águas Livres, Rua da Atalaia, Rua do Bairro da Cáritas,   Rua da Barroca, Rua das Barracas, Rua da Betesga, Rua da Bica do Marquês, Rua da Bica do Sapato, Rua da Bica Duarte Belo, Rua da Bombarda,  Rua da Cascalheira, Rua da Casquilha, Rua das Chaminés d’El-Rei, Rua da Correnteza, Rua da Correnteza de Baixo, Rua das Courelas, Rua das Cozinhas, Rua da Fonte,  Rua das Fontaínhas, Rua das Fontaínhas a São Lourenço, Rua Fresca, Rua das Janelas Verdes, Rua da Mãe D’Água, Rua do Passadiço, Rua do Poço Coberto, Rua do Poço dos Negros,Rua das Praças, Rua da Regueira, Rua da Ribeira Nova, Rua da Rosa (de divisão dos terrenos de herança), Rua do Saco, Rua das Terras, duas ruas da Torre e a Rua da Judiaria, Rua da Mouraria, Rua dos Mouros (que se referia a ciganos) e Rua das Pretas.

Freguesia de Santo António – Placa Tipo II
(Foto: Sérgio Dias)

Já os sítios de que o topónimo guarda memória são 44 : Rua da Achada, Rua da Adiça, Rua de Alcântara, Rua de Alcolena, Rua do Alqueidão, Rua de Andaluz, Rua da Alegria, Rua do Alto do Chapeleiro, Rua do Alvito, Rua da Arrábida, Rua de Arroios, Rua do Beato, Rua da Bela-Flor, Rua de Belém, Rua do Bom Pastor, Rua da Buraca, Rua das Calvanas, Rua do Campo de Ourique, Rua de Campolide, Rua do Casal da Raposa, Rua do Casalinho da Ajuda, Rua do Sítio ao Casalinho da Ajuda, Rua de Castelo Picão, Rua da Cova da Moura, Rua do Desterro, Rua Nova do Desterro, Rua de Entrecampos, Rua da Estrela, Rua das Furnas, Rua do Grafanil, Rua da Guia, Rua da Junqueira, Rua da Lapa, Rua do Lumiar, Rua de Marvila, Rua do Monte Olivete, Rua de Moscavide ao Parque das Nações, Rua das Necessidades, Rua das Pedralvas, Rua de Pedrouços, Rua da Penha de França, Rua Nova de Palma, Rua da Portela e Rua de Xabregas.

Nos biotopónimos encontramos 46, sendo 41 relativos a plantas e árvores – existindo curiosamente 2 ruas com Eucalipto na denominação – e 5 referentes a animais.

Rua 20, no Bairro da Encarnação – Freguesia dos Olivais
(Foto: José António Estorninho)

As ruas com toponímia numérica são 107 e surgem nos bairros cuja génese é de habitação social do séc. XX, como no Bairro da Quinta do Jacinto, no Bairro da Calçada dos Mestres ou no Bairro da Encarnação.

Ainda nos números contam-se 6 topónimos que evocam datas e que são a Rua Primeiro de Dezembro, a Rua Primeiro de Maio, a Rua Primeiro de Maio ao Grafanil, a Rua Quatro de Agosto, a Rua Cinco de Abril e a Rua dos Cravos de Abril cujo propósito foi guardar a memória do 25 de Abril de 1974.

Ruas que fixam nomes de santos, os hagiotopónimos são 103, de que são exemplo a Rua do Loreto ou a Rua do Milagre de Santo António. Refira-se que existem mais 7 ruas com cruzes, cruzeiro ou crucifixo na designação e ainda com referências a doutrina como a Rua dos Sete Céus, a Rua da Samaritana, a Rua da Esperança na Madragoa e ainda, todas paralelas a Rua da Caridade, a Rua da Fé e a Rua da Esperança do Cardal.

Freguesia de Santa Maria Maior – Placa Tipo III
(Foto: Sérgio Dias)

Já ruas com topónimos relativos a profissões e atividades económicas são 89 : Rua Áurea, Rua do Açúcar, Rua das Adelas, Rua da Alfândega, Rua dos Arameiros, Rua dos Archeiros, Rua dos Arneiros, Rua dos Bacalhoeiros, cinco ruas do Cais, Rua das Canastras, Rua dos Caminhos de Ferro, Rua dos Cavaleiros, Rua do Chão da Feira, Rua do Comércio, Rua dos Contrabandistas,  duas ruas dos Cordoeiros, Rua dos Correeiros, Rua dos Douradores, Rua da Fábrica Carp, Rua da Fábrica da Pólvora, Rua da Fábrica das Moagens, Rua da Fábrica de Estamparia, Rua da Fábrica de Material de Guerra, Rua da Fábrica de Tecidos Lisbonenses, Rua dos Fanqueiros, Rua das Farinhas, duas ruas dos Ferreiros, Rua do Forno do Tijolo, Rua da Indústria, Rua dos Industriais, Rua dos Lagares, Rua dos Lagares D’El-Rei, Rua dos Lojistas, Rua da Manutenção, Rua do Mercado, Rua Nova dos Mercadores, Rua da Mestra, Rua da Moeda, Rua das Olarias, Rua dos Operários, Rua da Padaria, Rua da Pedreira do Fernandinho, Rua das Pedreiras, Rua da Prata, Rua dos Remolares, Rua das Salgadeiras, Rua dos Sapadores, Rua dos Sapateiros, Rua dos Sete Moinhos, Rua dos Táxis Palhinhas, duas ruas do Telhal, Rua dos Vaga Lumes a que se somam mais 20 relativas a Quintas e 13 a instrumentos náuticos e tipos de barcos.

Rua das Escolas Gerais – Freguesias de Santa Maria Maior e de São Vicente
(Foto: Ana Luísa Alvim)

Também 58 ruas receberam um topónimo resultante da sua proximidade às mais diversas instituições, como se pode observar na lista seguinte: Rua Aliança Operária, Rua «Amigos de Lisboa», Rua de Artilharia Um, Rua do Arsenal, Rua dos Caetanos, Rua Centro dos Trabalhadores do Alto da Ajuda, Rua Clube Atlético e Recreativo do Caramão, Rua da Academia das Ciências, Rua da Academia Recreativa de Santo Amaro, Rua da Capela, Rua do Centro Cultural, Rua do Colégio de São José, Rua do Convento da Encarnação, Rua da Cozinha Económica, Rua da Cruz Vermelha, Rua do Diário de Notícias, Rua das Enfermeiras da Grande Guerra, Rua das Escolas, Rua das Escolas Gerais, Rua da Escola de Educação Popular, Rua da Escola de Medicina Veterinária, Rua da Escola do Exército, Rua da Escola Politécnica, Rua Flor da Serra, Rua do Forte de Santa Apolónia, Rua das Francesinhas, Rua da Fraternidade Operária, Rua do Grémio Lusitano, Rua do Grilo, Rua Nova do Grilo, Rua da Guarda Nacional Republicana, duas ruas da Igreja e a Rua da Mesquita, Rua da Imprensa à Estrela, Rua da Imprensa Nacional, Rua de Infantaria 16, Rua do Instituto Bacteriológico, Rua do Instituto Dona Amélia, Rua do Instituto Industrial, Rua Instituto Virgílio Machado, Rua dos Jerónimos, Rua das Madres, Rua da Misericórdia, Rua do Montepio Geral, Rua do Museu de Artilharia, Rua das Portas de Santo Antão, Rua do Quatro de Infantaria, Rua dos Quartéis, Rua do Recolhimento, Rua Seara Nova, Rua de O Século, Rua do Seminário, Rua da Sociedade Farmacêutica, Rua do Terreiro do Trigo, Rua da Tobis Portuguesa, Rua das Trinas, Rua do Triângulo Vermelho, Rua da Trindade e  Rua da Voz do Operário.

Lisboa comporta ainda 14 ruas cujo topónimo é literário, quer seja por ser o título de um livro, como por exemplo na Rua dos Lusíadas ou na Rua Sinais de Fogo, quer seja por evocar personagens literárias como no caso da Rua das Musas.

Sobram outras 13 ruas cuja origem não está suficientemente esclarecida e que são a Rua Cascais, a Rua dos Cegos, a Rua das Damas, a Rua da Emenda, a Rua do Gabarete, a Rua do Gravato, a Rua do Mato Grosso, a Rua da Páscoa,  duas ruas da Paz, a Rua das Pedras Negras, a Rua das Raparigas e a Rua da Saudade.

Rua dos Cegos – Freguesia de Santa Maria Maior – Placa Tipo I
(Foto: Rui Mendes)

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s