Sete Rios e Humberto Delgado

Palhavã e Sete Rios em 1940
(Foto: Eduardo Portugal, Arquivo Municipal de Lisboa)

O Sítio de Sete Rios, do antigo Termo de Lisboa, ganhou quatro anos após o 25 de Abril – em 1979 – uma Praça de homenagem a Humberto Delgado, o General Sem Medo assassinado pela PIDE em 1965, embora ainda hoje essa artéria seja conhecida como Largo ou Praça de Sete Rios, ou apenas Sete Rios, topónimo que foi reforçado na memória dos lisboetas de 1959 a 1995 pela estação de Metropolitano de Sete Rios.

Raúl Proença, no seu  volume inaugural do seu Guia de Portugal, publicado em novembro de 1924, escreve que «O lugar de Sete Rios surge então na confluência de duas estradas, uma para Oeste, chamada hoje rua de Campolide, que leva à estrada deste nome, e outra para Este, que constitui a travessa das Laranjeiras.» Refira-se que pelo menos até à década de quarenta do séc. XX o sítio de Sete Rios era ocupado  maioritariamente por quintas e terrenos de cultura.

A origem do topónimo pode estar relacionada com a presença de um braço da  Ribeira de Alcântara no local, misturado com o mágico número sete,  um número de perfeição, presente na toponímia galego-portuguesa em bicho de sete cabeças, no sete fôlegos do gato, nos sete ofícios, sete ventos, sete mares ou sete partidas do mundo, tanto mais que a maior quinta do sítio de Sete Rios se denominava Quinta dos Milagres. Esta Quinta ligava-se à Quinta das Furnas pela Azinhaga dos Milagres.

Certo é que no séc. XVIII já encontramos Sete Rios em diversos documentos municipais : num Aviso para que se consertem as calçadas que dão acesso a Nossa Senhora das Necessidades, à ponte de Alcântara e à de Sete Rios (1727); na petição de João do Outeiro, mestre calceteiro, que consertara a estrada que vai de Sete Rios para Belas, para que lhe paguem o que se encontra em falta (1743); num pedido de  Silvestre de Faria Lobo para ser autorizado a fazer o prolongamento de um muro na sua quinta em Sete Rios (1779).

No séc. XIX, em 1838 aparece já mencionada a Estrada de Sete Rios que vai para Campolide. Em 1904 foi em Sete Rios instalado o Jardim Zoológico de Lisboa, no antigo parque do Palácio Farrobo ou seja, em grande parte da Quinta das Laranjeiras e inaugurado em maio do ano seguinte. Em 1927 e 1928 foi delineado um plano de novos arruamentos no Casal de Sete Rios, que era da Casa Cadaval, entre a Estrada e a Travessa das Laranjeiras, Estrada de Benfica e Linha Férrea de Cintura que aprovado na sessão de Câmara de 1 de novembro de 1928. Vinte anos depois, a planta da cidade de 1948 assinala Sete Rios como um dos pontos de referência da cidade. Em  1959 foi inaugurada a estação do Metropolitano Sete Rios que só em 1995 seria remodelada e mudado o nome para Jardim Zoológico. Nos anos cinquenta foi elaborado um projeto de canalização da Ribeira de Alcântara, entre Campolide e a Travessa de São Domingos de Benfica, incluindo o braço de Sete Rios sendo em 1961 construído o Caneiro de Alcântara – Sete Rios, ano em que também foi tirado algum terreno ao Jardim Zoológico para a construção de uma praça em Sete Rios. Nessa praça foi instalada a partir de 1963 a central de camionagem de Sete Rios, e no ano seguinte a autarquia adjudicou a instalação de bocas de rega nas placas ajardinadas da Praça.

A Praça Marechal Humberto Delgado – Freguesias de São Domingos de Benfica, Campolide e Avenidas Novas

Após o 25 de Abril de 1974 a Câmara recebeu diversas solicitações para que Humberto Delgado, morto há 9 anos atrás, fosse nome de rua e assim, Humberto da Silva Delgado (Torres Novas – Brogueira/05.05.1906 – 13.02.1965/Villanueva del Fresno -Espanha), que fora assassinado por um comando da PIDE liderado por Rosa Casaco, passou através do Edital municipal de Edital de 02/02/1979, após o parecer favorável do Estado-Maior General das Forças Armadas, a estar na Praça General Humberto Delgado, oficialmente  inaugurada em outubro desse ano. Mais tarde, em 1990, quando ocorreu a promoção póstuma de Humberto Delgado a Marechal da Força Aérea e os seus restos mortais foram trasladados para o Panteão Nacional, no dia 5 de outubro, também o topónimo foi atualizado para Praça Marechal Humberto Delgado, através do Edital municipal de 13 de dezembro de 1990, ocorrendo a cerimónia de inauguração das novas placas toponímicas em 18 de janeiro do ano seguinte.

Freguesias de São Domingos de Benfica, Campolide e Avenidas Novas
(Foto: Sérgio Dias| NT do DPC)

Anúncios

3 thoughts on “Sete Rios e Humberto Delgado

  1. Pingback: A Rua António Alçada Baptista de «Os Nós e os Laços» | Toponímia de Lisboa

  2. Pingback: O património natural na toponímia de Lisboa | Toponímia de Lisboa

Os comentários estão fechados.