A Rua dos Correeiros

Freguesia de Santa Maria Maior

Esta Rua dos Correeiros que hoje vemos a unir a Rua da Conceição à Praça da Figueira nasceu da Portaria pombalina de 5 de novembro de 1760, que atribuiu denominações às ruas da reconstruída Baixa lisboeta após o terramoto de 1755 – entre a Praça do Comércio e o então designado Rossio -,  bem como determinou que «nella terão arruamento os Officios de Corrieiro, de Seleiro, e de Torneiro.»

Este decreto régio de 1760 foi o primeiro diploma que tratou exclusivamente de matéria toponímica e a nomenclatura toponímica atribuída correspondeu também à fixação de artes e ofícios pelos arruamentos, tendo sido a «Rua Nova d’El Rey [hoje, Rua do Comércio], Rua Augusta, Rua Áurea, Rua Bella da Rainha [hoje, Rua da Prata], Rua Nova da Princesa [hoje Rua dos Fanqueiros], Rua dos Douradores, Rua dos Correeiros, Rua dos Sapateiros, Rua de S. Julião, Rua da Conceição, Rua de S. Nicolau, Rua da Victoria, Rua da Assumpção e Rua de Santa Justa».

A Rua dos Correeiros sofreu alterações à sua dimensão no decorrer do século XX. O Edital municipal de 6 de novembro de 1920, acrescentou-lhe a vulgarmente chamada Rua das Galinheiras assim como a Rua Nova de São Domingos. Mais ou menos trinta anos volvidos, o Edital municipal de 28 de agosto de 1950 retirou-lhe o troço entre a Rua do Amparo e o Largo de São Domingos para fazer nascer a Rua Dom Antão de Almada.

Nesta artéria conhecida vulgarmente como Travessa da Palha e  onde na segunda metade do século XIX surgiram muitas casas de pasto de galegos, quando estes emigraram em massa para Portugal, também foi o local de nascimento de  Rosa Araújo, em 17 de novembro de 1840, o presidente de Câmara responsável pela abertura da Avenida da Liberdade.

Freguesia de Santa Maria Maior    (Planta: Sérgio Dias| NT do DPC)

 

 

xvxcvbxbxc