A Avenida Brasília da Torre de Belém

nas Freguesias de Alcântara e de Santa Maria de Belém – nas futuras Freguesias de Alcântara e de Belém

Freguesias de Alcântara e de Belém                                                           (Foto: José Carlos Batista)

Cerca de três meses depois da inauguração em 21 de abril de 1960 da cidade de Brasília como capital do Brasil,  Lisboa perpetuou-a numa Avenida alfacinha próxima da linha do Tejo, através do Edital municipal de 20 de julho de 1960,  que era a via pública a sul do caminho-de-ferro, paralela à Avenida da Índia, entre a passagem de nível de Alcântara-Mar e a Avenida da Torre de Belém aberta em 1945.

Este topónimo nasceu de um pedido do Almirante Sarmento Rodrigues – Ministro do Ultramar de Salazar, de 1950 a 1955 – ao Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, que era então António Vitorino França Borges, para se fixar em Lisboa a nova capital brasileira que iria suceder ao Rio de Janeiro (1763 a 1960), que por sua vez já sucedera a Salvador (1549 a 1763).

Em 1956, Juscelino Kubitschek – o Presidente do Brasil de 1956 a 1961 – convidou o arquiteto brasileiro das formas curvas, Oscar Niyemer, para projetar os edifícios públicos da nova capital brasileira, que ficaram concluídos antes de 1960, enquanto o plano da cidade, em forma de borboleta, foi ganho pelo  arquiteto Lúcio Costa.

Brasília é Património Histórico e Cultural da Humanidade desde 1987 e em 2008 foi Capital Ibero-Americana da Cultura.

Freguesias de Alcântara e de Belém         
(Planta: Sérgio Dias| NT do DPC)

#EuropeForCulture