Teatro de São Carlos

Localizado no “coração” do Chiado, na Freguesia de Santa Maria Maior, foi inaugurado em 30 de junho de 1793 pelo Príncipe Regente D. João para substituir o Teatro Ópera do Tejo, então destruído no Terramoto de 1755, tendo nascido do traço do arquiteto José da Costa e Silva.

Construído em apenas seis meses, na sua arquitetura estão presentes elementos neoclássicos e rococó, num projeto geral conforme aos cânones do chamado “Teatro à Italiana”, sendo exemplos o Teatro Alla Scala (Milão) ou o Teatro San Carlo (Nápoles), entre outros.

A construção do teatro, decidida em 1792, tornou-se possível invocando-se como fonte de receita destinada a uma futura obra de caridade – a Casa Pia, fundada em 1780 pelo intendente Pina Manique. Antigo homem de confiança do primeiro-ministro Sebastião José de Carvalho e Melo, foi ele quem conseguiu obter da Coroa a respetiva permissão. O financiamento da obra é inspirado pelos interesses de abertura e modernização da sociedade portuguesa de um grupo de grandes negociantes de Lisboa, entre os quais Joaquim Pedro Quintela, feito Barão de Quintela alguns meses antes do início da construção do Real Theatro, cedendo os terrenos para o edifício em troca da propriedade de um camarote de primeira ordem, com anexos e acesso privado à rua a nascente. Quintela, vem a ser pai do também Joaquim Pedro Quintela, 2º Barão de Quintela e mais tarde – 1833 – feito Conde de Farrobo, que foi director do Real Theatro entre 1838 e 1840. A inauguração ocorreu com o bailado “A Felicidade Lusitana” e a Ópera “La Ballerina Amante”.

Na atualidade, mantém-se como o único teatro nacional vocacionado para a produção e apresentação de ópera e de música coral e sinfónica, tendo como agrupamentos artísticos residentes o Coro do Teatro Nacional de São Carlos e a Orquestra Sinfónica Portuguesa.

O Teatro apresenta uma programação musical regular em três espaços: na Sala Principal, no Salão Nobre e ainda, no Foyer – entrada do Teatro – espaço privilegiado para concertos de câmara e breves recitais de entrada gratuita.

Classificado como imóvel de interesse público e Monumento Nacional

Texto: © DPC | 2018
Fotos: © José Vicente |CML | DPC | 2018