Damião Peres, autor da História de Barcelos, numa Rua de Telheiras

Freguesia do Lumiar
(Planta: Sérgio Dias| NT do DPC)

A memória de Damião Peres, o historiador que se notabilizou pela sua História de Portugal em 9 volumes, conhecida como História de Barcelos,  está desde 1978 numa Rua de Telheiras, através do Edital municipal que iniciou nesta zona da cidade o Bairro dos Professores, através da toponímia.

Por via da publicação do Edital de municipal de 27 de fevereiro de 1978, a Rua Prof. Damião Peres, com a legenda «Historiador /1889 – 1976», ficou na Rua 3 N da Zona de Telheiras. O mesmo Edital colocou mais os seguintes topónimos nas ruas do Bairro:  na Rua 1 o Prof. Pulido Valente, na Rua 1 N o  Prof. Bento de Jesus Caraça, na Rua 2 o Prof. João Barreira, na Rua 2 N o Prof. Queiroz Veloso, na Rua 3 o Prof. Henrique Vilhena, na Rua 4 o Prof. Mário Chicó, na Rua 6 o Prof. Vieira de Almeida, na Rua 9 o Prof. Fernando da Fonseca, na Rua 11 o  Prof. Hernâni Cidade, na Rua 11 A a Profª. Virgínia Rau, na Rua 11 B o Prof. Delfim Santos, no Impasse 11 C o   Prof. Luís Reis Santos e fazendo um único arruamento com a junção da Rua 15 com os Impasses 15 B, 15 C e 15 D ficou o Prof. Mark Athias.

Damião António Peres (Lisboa/08.07.1889 – 26.10.1976/Porto) foi professor liceal, tendo até sido reitor do Liceu do Funchal e do lisboeta Liceu Gil Vicente, para depois ser docente universitário de 1919 a 1959, primeiro na Universidade do Porto (1919 a 1928), cuja Faculdade de Letras e Arquivo Histórico da Cidade dirigiu, passando depois para a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (1931 a 1959).

Enquanto historiador notabilizou-se pela sua História de Portugal em 9 volumes, que produziu com Euleutério Cerdeira, conhecida com a História de Barcelos por ter sido publicada pela Portucalense Editora – sediada em Barcelos-, entre 1928 e 1954, com o subtítulo «Edição monumental comemorativa do 8.º centenário da fundação da nacionalidade, profusamente ilustrada e colaborada pelos mais eminentes historiadores e artistas portugueses», tendo sido propositadamente no dia exato dos 800 anos da Batalha de São Mamede, que  de facto marcou a independência de Portugal. Um 10º volume foi editado em 1981, da autoria de Franco Nogueira, sobre o período de 1933 a 1973, pela Livraria Civilização, do Porto, que adquiria os direitos da obra. Damião Peres publicou ainda, entre outros, Catálogo das Moedas Portuguesas (1929-1934) em 2 volumes, Como nasceu Portugal (1938), A História dos Descobrimentos (1943),  Portugal na História da Civilização (1946), O descobrimento do Brasil por Pedro Álvares Cabral : antecedentes e intencionalidade (1949), História dos Moedeiros de Lisboa como Classe Privilegiada (1964-1965) em 2 volumes ou História dos mais belos Castelos de Portugal (1969).

Damião Peres ainda fundou a Revista de Estudos Históricos, organizou as coleções de numismática do Museu Municipal do Porto e da Casa da Moeda de Lisboa, foi membro da Academia das Ciências de Lisboa e fundador da Academia Portuguesa da História.

Foi Doutor Honoris Causa pelas universidades de Montpellier e Bordéus, assim como agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (1961) e da Ordem Militar de Santiago da Espada (1968) e integra a toponímia do concelho de Almada ( por 4 vezes), de Fernão Ferro, do Montijo, de Paços de Ferreira, da cidade do Porto e de São Domingos de Rana.

Freguesia do Lumiar
(Foto: Google Maps editada pelo NT do DPC)