O Jardim dos Jacarandás da Expo 98

Freguesia do Parque das Nações
(Foto: Google Maps editada pelo NT do DPC)

O Jardim dos Jacarandás nasceu com a Expo 98 e desde a publicação do Edital municipal de 16 de setembro de 2009 que este espaço verde de 2.500 metros quadrados que vai da Alameda dos Oceanos à Rua de Moscavide é parte integrante da freguesia lisboeta do Parque das Nações.

Freguesia do Parque das Nações
(Planta: Sérgio Dias| NT do DPC)

O Jardim dos Jacarandás caracteriza-se por ser uma zona arborizada que com situações de desníveis, tradicionais em Lisboa, resolvidas com plantações e muros. Por outro lado, guarda na memória o nome popular de várias espécies de árvores dos géneros Jacarandá-da-Bahia, Jacarandá-do-pará, Jacandará-africano, sendo o Jacarandá-mimoso o mais comum e que em Lisboa é possível encontrar, por exemplo, no Parque Eduardo VII, no Largo do Carmo ou ainda nas Avenidas 5 de Outubro ou Dom Carlos I.

Ainda herança da Expo 98 existe também o Passeio dos Jacarandás, que liga a Rua de Moscavide ao Passeio dos Fenícios, assim integrando também os primeiros 102 topónimos oficializados pelo Edital municipal de 16 de setembro de 2009, a que se juntaram mais 60 oficializados pelo Edital municipal de 06/05/2015.

A realização da Expo 98, subordinada ao tema “Os oceanos: um património para o futuro”, implantou para o evento uma toponímia ligada aos oceanos, aos Descobrimentos Portugueses, aos aventureiros marítimos da literatura e banda desenhada mundial, a figuras de relevo para Portugal, a escritores portugueses ou obras de sua autoria e ainda alguns ligados à botânica, como este Jardim dos Jacarandás.

O topónimo Jacarandás também surge em Portugal numa Rua de Brejos de Azeitão e noutra em Albufeira.