A Avenida da Igreja de São João de Brito

A Avenida da Igreja em 1959
(Foto: António Passaporte, Arquivo Municipal de Lisboa)

A Avenida que a partir do Campo Grande dá acesso à Igreja de São João de Brito, construída entre 1951 e 1955, desde a publicação do Edital municipal de 19 de julho de 1948 que é a Avenida da Igreja.

Este arruamento dividia os grupos 1 e 2 do Sítio de Alvalade e mais tarde, será já como Avenida da Igreja que fará também de linha divisória entre as freguesias do Campo Grande e de São João de Brito, quando esta última freguesia for criada em 7 de fevereiro de 1959, pelo Decreto-Lei nº 42142. Hoje, toda a Avenida da igreja é pertença da Freguesia de Alvalade.

O Edital de 1948 atribuiu mais 19 topónimos, nas ruas do Sítio de Alvalade identificadas com os números 1 a 19: Rua Afonso Lopes Vieira, Rua Branca de Gonta Colaço, Rua Fernando Caldeira, Rua Rosália de Castro, Rua Alberto de Oliveira, Rua João Lúcio, Rua Antónia Pusich, Rua Fausto Guedes Teixeira, Rua Eugénio de Castro, Rua Violante do Céu, Rua Fernando Pessoa, Rua Luís Augusto Palmeirim, Rua António Patrício, Rua Bernarda Ferreira de Lacerda, Rua Eduardo Vidal, Rua Camilo Pessanha, Rua Guilherme de Azevedo, Rua Mário de Sá Carneiro e Rua Florbela Espanca.

A Igreja de S. João de Brito que foi inaugurada em 2 de outubro de 1955, estava já traçada pelo arqº  Vasco Morais Palmeira em 1951 e no ano seguinte iniciou-se a construção do templo, com fundos provenientes da venda da Igreja da Conceição Nova (demolida em 1951), de onde veio também parte do espólio para a nova igreja.  João de Brito havia sido canonizado em 22 de junho de 1947 e nesse mesmo ano os CTT lançaram um selo comemorativo do 3º centenário do seu nascimento.

O Bairro de Alvalade estava projetado desde 1945 pelo arquiteto urbanista municipal Faria da Costa e a Comissão Consultiva Municipal de Toponímia, criada no ano de 1943, foi sugerindo os topónimos para este novo bairro que foi nascendo nas décadas de quarenta e de cinquenta, alterando a feição arrabaldina desta zona da cidade.

A Avenida da Igreja em 1958
(Foto: Armando Serôdio, Arquivo Municipal de Lisboa)