Os fantásticos Raúl Nery e El TVfer One no MURO’19

(Foto: © José Vicente, 2019 |DPC |DMC |CML )

O prazer de fazer o que se gosta, quer em fantásticas ilustrações quer num fantástico dedilhar de guitarra, unem Raúl Nery e El TVfer One no MURO’19, 3ª edição do Festival de Arte Urbana de Lisboa, que vai decorrer no Lumiar a partir de quinta-feira, dia 23 e até 26 de maio, unindo a arte urbana à música presente na toponímia local. A Rua Raúl Nery é desde fevereiro do corrente ano o topónimo de uma artéria pedonal próxima da Avenida David Mourão-Ferreira e El TVfer One vai pintar um mural no Edifício Metralha, na Estrada da Torre, na proximidade da mesma Avenida David Mourão-Ferreira.

O setubalense Pedro, de 25 anos, de nome artístico El Tvfer One, é também um ilustrador e tatuador, apaixonado pela vida e pela natureza onde vai buscar a inspiração, com os pormenores de quem está atento ao que o rodeia. As suas criações colocam o foco nos animais, dos ratos aos coelhos, passando pelos cães, assim como dos insetos aos pássaros, em muitas e variadas peças de fruta, em ondas do mar e em órgãos humanos que vão do coração aos olhos e até às caveiras.

Rua Raúl Nery

Já Raúl Nery, engenheiro de profissão mas guitarrista por vocação, desde a publicação do Edital municipal de 15 de Fevereiro de 2019 que é o topónimo do arruamento pedonal do Parque Oeste confinante com a Malha 6 do Projeto de Urbanização do Alto do Lumiar. Raúl Filipe Nery (Lisboa- antiga Freguesia de Santa Engrácia/10.01.1921 – 14.06.2012/Lisboa)  revelou vocação musical desde criança e com apenas 9 anos fez a sua estreia em público, a tocar guitarra, nos retiros de Fado em redor da cidade de Lisboa.

Mais notabilizado por acompanhar a fadista Maria Teresa de Noronha durante 20 anos, Raúl Nery também acompanhou no teatro de revista as vozes de Berta Cardoso, Ercília Costa, Estêvão Amarante ou Hermínia Silva, para além de estar ligado a casas de fado do Bairro Alto como o Café Luso, a Adega Machado ou a Adega Mesquita, nos anos quarenta,  Na década seguinte formou o conjunto de Guitarras Raul Nery, com mais três músicos – o guitarrista José Fontes Rocha, o viola Júlio Gomes e o viola-baixo Joel Pina – quarteto que frequentou bastas vezes os estúdios da Emissora Nacional e acompanhou as deslocações internacionais de nomes como Amália, Maria Teresa de Noronha ou Teresa Tarouca. Em 1958, foi solista em gravações com a Orquestra de George Melachrino em Londres, tendo gravado Uma Casa Portuguesa, Canção do Mar, Mãe Preta, Coimbra, Um Pequeno Café, Fado Obrigado, Rapsódia Portuguesa e Variações em Ré. Também em inúmeras gravações nos legou o seu dedilhar a acompanhar Maria Teresa de Noronha,  Ada de Castro, Adelina Ramos, Amália, António Mourão, Carlos do Carmo, Carlos Ramos, Estela Alves, Fernando Farinha, Frei Hermano da Câmara, João Ferreira Rosa, Lucília do Carmo, Maria da Fé, Teresa Silva Carvalho, Teresa Tarouca, entre outros.

O Quarteto de Guitarras de Raul Nery foi homenageado pela CML no Museu do Fado em 1999 e o próprio Raul Nery foi galardoado Comendador da Ordem de Mérito em 2012.

 

© CML | DPC | NT e GAU | 2019

Anúncios