A Rua dos Santos à Campolide

Rua de Campolide – Freguesias de Campolide e de São Domingos de Benfica

A extensa Rua de Campolide, que hoje se estende da Rua do Arco do Carvalhão à Avenida Columbano Bordalo Pinheiro,  acolhe o arraial  Santos à Campolide no renovado Parque Urbano da Quinta do Zé Pinto, até ao  próximo dia 16 de junho.

A Rua de Campolide nasceu como tal por uma deliberação camarária de 30 de janeiro de 1908 na via até aí conhecida como Estrada de Campolide. Antes fora designada como Cruz das Almas, por referência à Ermida da Cruz das Almas, fundada no local em 1756. Mais rigorosamente, a Rua de Campolide é a soma da antiga Cruz das Almas do pós-terramoto que passou a ser Estrada de Campolide, junto com a Estrada de Campolide de Cima e a Estrada de Campolide de Baixo.

Na crónica da conquista de Lisboa aos mouros já aparece referido Campolet ou Campolit, embora tenha aumentado a intensidade do povoamento a partir do século XVIII, com a chegada de gente para a construção do Aqueduto. O olisipógrafo Norberto de Araújo escreveu nas suas Peregrinações em Lisboa, publicadas nos anos 30 do século XX, que «Não significa isto, porém, que Campolide não fosse povoado desde há duzentos anos, mas com carácter rústico arrabaldino – aprazível sítio -, e em aglomerados soltos, dos quais o mais assinalado se encontrava no prolongamento da estrada, agora Rua de Campolide, muito além das barreiras (hoje ponto terminal da linha dos eléctricos), sensivelmente no trôço de encosta, entre o actual edifício das Irmãzinhas e o Quartel de Caçadores 5, no local das casas de Estêvão Pinto. No século XVIII, contido entre quintas muradas, estrada de passagem obrigatória – Campolide existia sem definição nem classificação. Algumas das suas casas, hoje de pé ou transformadas atestam quanto te digo».

© CML | DPC | NT | 2019

Anúncios