O arraial da ADCEO na Rua da Quinta de Santa Maria e Circular Norte do Bairro da Encarnação

Freguesia dos Olivais

No Bairro da Encarnação, o arraial das Festas de Lisboa 2019 faz-se na Rua Quinta de Santa Maria e na Circular Norte, por serem a morada da ADCEO – Associação Desportiva e Cultural da Encarnação e Olivais que desde a sua fundação em 10 de março de 1990 tem a sua sede no lote 7 da Rua da Quinta de Santa Maria e Circular Norte e assim participa nas festas da cidade.

A ADCEO nasceu da fusão do Centro de Recreio Popular do Bairro da Encarnação (fundado em 16 de maio de 1946), do Clube Atlético e Recreativo da Encarnação (fundado em 28 de fevereiro de 1948) e do Centro de Cultura e Desporto da Quinta do Morgado (fundado em 1 de junho de 1975) e investe na promoção da cultura, da educação, do desporto e do recreio.

O Arraial da ADCEO em 2019
(Foto: José António Estorninho)

A maioria dos topónimos do Bairro da Encarnação, urbanização da autoria do Arqº Paulino Montez, construída de 1940 a 1943 – numa área de cerca de 47 ha de terrenos do então Ministério das Obras Públicas e Comunicações -, nasceram pelo Edital municipal de 15 de março de 1950. No quinhentista sítio da Panasqueira – cuja memória ainda se mantinha em 1939 numa Azinhaga da Panasqueira – foi inaugurado em 1946 o Bairro da Encarnação, o qual procurou reproduzir um pretenso modelo de aldeia portuguesa, mas com a forma de uma borboleta que pode ser admirada por vista aérea, sendo a Alameda da Encarnação o eixo principal das duas asas simétricas de borboleta do Bairro-Jardim da Encarnação.

A Rua da Quinta de Santa Maria, que faz a ligação da Circular Norte à Avenida Cidade do Porto, é uma das doze do Bairro da Encarnação que hoje encontramos a fugir à regra de ter toponímia numérica como era uso nos bairros sociais de então, e se pode ver justamente no Edital municipal de 15/03/1950 também aplicada nos Bairros de Casas Económicas do Alto da Ajuda, do Alto da Serafina, da Calçada dos Mestres, de Caselas e das Terras do Forno. O Bairro da Encarnação, cuja arquitetura já continha  princípios das cidades-jardim que então se iam construindo noutros países europeus, além da toponímia numérica que era tradicional nestes bairros, recebeu alguns topónimos, mesmo se todos esses são referências de localização, conforme se pode ser na ata da reunião da Comissão Consultiva Municipal de Toponímia de 19 de dezembro de 1949: «Praça do Norte, Praça das Casas NovasRua dos Lojistas, Rua da Portela, Rua da Quinta de Santa Maria, Rua da Quinta do Morgado, Rua da Quinta da Fonte, e ruas números: 2, 4, 6, 8, 10, 12, 14, 16, 18, 20, 22, 24, 26 e 28, e 1, 3, 5, 7, 9, 11, 13, 15, 17, 19, 21, 23, 25, 27 e 29,  aos arruamentos situados, respectivamente, à direita e à esquerda da Alameda da Encarnação.» Pelo Edital foram ainda atribuídos os topónimos Rua dos Eucaliptos e Rua das Escolas. A Rua da Quinta de Santa Maria foi arborizada entre 1956 e 1971.

Já as Circulares do Bairro da Encarnação, são atribuídas depois, através do Edital municipal de 27 de novembro de 1957, cabendo à  Rua K e à Rua J passarem a ser a Circular Norte e a Circular Sul, georreferências à Praça do Norte e à Praça das Casas Novas.

A Rua da Quinta de Santa Maria e a Circular Norte

 

© CML | DPC | NT | 2019