Da Rua da Praga à Rua do Cardal de São José dos Carpinteiros

A Rua do Cardal de São José em 1907
(Foto: Machado & Souza, © CML | DPC | Arquivo Municipal de Lisboa)

A pedido dos moradores da Rua da Praga esta passou a integrar a Rua do Cardal da qual seguia como prolongamento, unindo o arruamento daí resultante com o topónimo de Rua do São Cardal de São José por terminar em frente do templo de São José dos Carpinteiros, o que se processou através do Edital do Governo Civil de Lisboa de 7 de novembro de 1874.

O olisipógrafo Gomes de Brito, no seu Ruas de Lisboa refere que  «Em sessão [ de Câmara] de 17 de Agosto de 1874 foi lido o ofício do Governador Civil de Lisboa, acompanhando o requerimento dos moradores da Rua da Praga, pedindo, pelos motivos que alegavam, que o nome desta rua fosse substituído pelo de Rua do Cardal de S. José », solicitação a que a edilidade lisboeta deu parecer favorável «dizendo que a Vereação nenhuma dúvida tem em que se faça a substituição requerida.»

Cardal significa terra de catos e na carta topográfica de Lisboa de 1856 elaborada por Filipe Folque também se encontra o Cardal de Santo António e o Cardal da Graça. Nesta Cardal de São José evoca-se a proximidade à Igreja Paroquial de São José que foi também denominação da Freguesia, designada originalmente São José de Entre as Hortas quando em 1567 foi criada por desanexação da freguesia de Santa Justa. Hoje, a Rua do Cardal de São José liga a Rua da Fé à Travessa Larga e é território sob administração da Freguesia de Santo António.

A igreja de São José dos Carpinteiros teve origem numa pequena ermida em 1545 e vinte e dois anos depois, em 1567, foi elevada a paroquial. Em meados do séc. XVII conheceu obras de ampliação e após o terramoto de 1755, foi reedificada e está classificada como Imóvel de Interesse Público.

Ainda no séc. XIX, a Rua do Cardal de São José, foi alvo de um memorial de João Henrique da Costa Sermenho sobre a melhor ocasião para construção de passeios de pedra miúda, para melhorar o trânsito a pé e ajudar no declive do cruzamento com a rua do Carrião (1881-10-17) e teve um alinhamento aprovado em sessão de câmara de 14 de abril de 1890.

Pelo mesmo Edital do Governo Civil de 7 de novembro de 1874, foram também alterados os seguintes topónimos: o Beco da Linheira  passou a ser a Travessa do Ferragial, a Travessa das Moças tornou-se a Travessa do Olival a Santos, o Pátio ou Largo da Alfândega Velha  mudou para Rua do Cais da Alfândega Velha, assim como uma nova travessa aberta na Rua da Junqueira ganhou a denominação de Travessa do Cais da Alfândega Velha.

A Rua do Cardal de São José em 1881
(Planta: Francisco Goullard, © CML | DPC | Arquivo Municipal de Lisboa)

© CML | DPC | NT | 2019

One thought on “Da Rua da Praga à Rua do Cardal de São José dos Carpinteiros

  1. Pingback: Do Pátio à Rua do Cais da Alfândega Velha e o nascimento da Travessa da Alfândega Velha em 1874 | Toponímia de Lisboa

Os comentários estão fechados.