Rua Luísa Todi

Rua Luisa Todi 5

Freguesia da Encarnação – futura Freguesia da Misericórdia


Anúncios

Luísa Todi, a cantora lírica de carreira internacional

Rua Luísa Todi placa

Freguesia da Encarnação – futura Freguesia da Misericórdia

Há precisamente 260 anos nasceu em Setúbal a cantora lírica Luísa Todi que veio viver para Lisboa em 1765, tendo morado sobretudo no Bairro Alto, nomeadamente no nº 2 da então denominada Travessa da Estrela, artéria na qual ficou perpetuada pelo Edital municipal de 12/06/1917, com a legenda «Insigne Cantora Portuguesa do Século XVIII».

Sabe-se que em Lisboa, Luísa Todi também morou no Pátio do Conde de Soure, na Rua do Tesouro Velho (hoje, Rua António Maria Cardoso), na Rua da Barroca, na Rua da Atalaia, no Rua de S. Nicolau e, na Travessa da Estrela.

Luísa Rosa de Aguiar Todi (Setúbal/09.01.1753 – 01.10.1833/Lisboa), filha do professor de música e instrumentista Manuel José de Aguiar, começou a sua carreira no teatro musical com a sua irmã, aos 14 anos, no Teatro do Conde de Soure (ou Teatro do Bairro Alto), no Tartufo de Molière e, dois anos depois, em 28 de Julho de 1769 casou na Igreja de Nª Srª das Mercês com Francesco Saverio Todi, natural de Nápoles e violinista na orquestra do mesmo teatro, com quem teve 6 filhos: João (Porto, 1772), Ana José (Porto, 1773), Maria Clara (Guimarães, 1775), Francisco Xavier (Aranjuez, 1777), Adelaide (Paris, 1778), Leopoldo Rodrigo Ângelo (Turim,1782).

Após o casamento viveu nas proximidades do Teatro, no Pátio do Conde de Soure e, em 1770 estreou-se já como cantora na ópera em  Il Viaggiatore Ridicolo de Guiseppe Scolari. Depois, a mais célebre meia-soprano portuguesa enveredou por uma carreira internacional, tanto mais necessária quanto a partir do reinado de D. Maria I as mulheres foram proibidas de cantar em público. Percorreu muitos palcos da Europa, como Londres, Paris, Versalhes, Madrid, Turim, Nápoles, Berlim, Varsóvia, Viena, Prússia e Rússia, tendo voltar para cantar na corte portuguesa em 1783 e em 1793 mas, com a autorização especial para cantar em público. Em 1799 terminou a sua carreira internacional e em 1801 ainda cantou na cidade do Porto, embora as invasões francesas a tenham feito deslocar-se para Lisboa, onde se radicou a partir de 1811. Passados 11 anos Luísa Todi cegou completamente e, em Junho de 1833, aos 80 anos, fez o seu testamento e, nesse mesmo ano acabou por falecer, no dia 1 de Outubro, ficando sepultada na Igreja da Encarnação.